Agência Fitch eleva nota de crédito do Brasil, cita desempenho econômico

Agência Fitch eleva nota de crédito do Brasil, cita desempenho econômico

A agência de classificação de risco Fitch elevou nesta quarta-feira a classificação de crédito do Brasil de BB- para BB com perspectiva estável. A medida não tira a nota do Brasil do território de risco, mas “reflete um desempenho macroeconômico e fiscal melhor do que o esperado em meio a sucessivos choques nos últimos anos”, segundo a agência. A Fitch projeta um crescimento do PIB de 2,3% para o Brasil em 2023 – quase três vezes mais alto do que sua previsão anterior de 0,7%.

Para o economista André Perfeito, a medida cria ainda mais condições para que o Banco Central promova um corte de meio ponto percentual na taxa de política monetária do Brasil. Em decisões anteriores de manter a taxa de juros básica nos atuais 13,75%, o banco havia citado preocupações com as perspectivas fiscais do país, bem como expectativas de inflação desancoradas. Em sua declaração, a Fitch reconheceu que a nova administração do esquerdista Luiz Inácio Lula da Silva traz uma retórica de afastamento da agenda econômica liberal. No entanto, a agência acredita que “o pragmatismo e os robustos controles e equilíbrios institucionais evitarão desvios”, informa a publicação Brazilian Report.

O Ministério da Fazenda anunciou nesta quarta-feira uma série de propostas para ajudar os estados e municípios a obter crédito e pagar suas dívidas. As medidas incluem um projeto de lei para alterar as regras da Lei de Responsabilidade Fiscal e do Regime de Recuperação Fiscal, bem como instrumentos que não requerem aprovação do Congresso. Não foram dados prazos para sua implementação. “Queremos promover o investimento não apenas em nível federal, mas também em nível estadual e municipal”, disse o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, em uma coletiva de imprensa. Ele também agradeceu à sua equipe e aos principais líderes do Congresso pelo trabalho que levou a agência de classificação de risco Fitch a elevar a classificação de crédito do Brasil de BB- para BB, e reiterou sua meta de levar o Brasil de volta à classificação de “grau de investimento”, também no Brazilian Report, sempre atento a temas econômicos.

O banco multilateral criado pelos países do Brics, não está considerando novos projetos na Rússia, uma vez que opera de acordo com as restrições impostas nos mercados financeiros e de capitais, disse Dilma Rousseff, chefe do banco nesta quarta-feira pelo Twitter, agora sob o nome de X. Ela afirmou que quaisquer especulações sobre a discussão de novas operações do banco na Rússia eram “infundadas”, segundo a Reuters.

Lula: dor no quadril

O presidente Lula cancelou todos os compromissos desta quarta e quinta-feira e foi ao Hospital Sírio Libanês de Brasília, onde permaneceu por três horas, para se submeter a um procedimento para reduzir o desconforto no quadril. Lula, de 77 anos, queixa-se há meses de fortes dores na região, provocadas por artrose num dos fémures. No procedimento desta quarta-feira Lula foi submetido a uma desenervação, ou seja, a desativação de parte dos nervos da região afetada, para reduzir a dor. Antes, fontes do palácio tinham afirmado que Lula também receberia uma infiltração de analgésicos no local, mas isso não foi confirmado oficialmente. No início da semana, Lula já tinha anunciado que teria de se submeter a uma cirurgia para tentar resolver o problema de uma vez, o que poderá acontecer em setembro ou outubro próximos, informa o português Correio da Manhã.

A Prensa Latina também noticiou o procedimento médico do presidente Lula.  Para os médicos de Lula, a única abordagem eficaz para essa condição é a cirurgia, que envolve a substituição do osso afetado por uma prótese.

O britânico liberal Financial Times traz reportagem crítica. “Lula traz um manual retrô para um Brasil moderno. Subsídios para fabricantes e uma política externa não alinhada estão enraizados nos anos de formação do ex-líder sindical”.

Veja Também:  Lula lança programa de crédito e renegociação de dívidas de micro e pequenas empresas

Direitos Humanos

O Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) expressou nesta quarta-feira preocupação com a impunidade de certos crimes, como a corrupção, no Brasil, num relatório sobre a situação das liberdades fundamentais. Também criticou a falta de avanços claros na criação de uma instituição independente de direitos humanos no Brasil, bem como a aplicação insuficiente das medidas lançadas para combater a corrupção. O comité instou o Brasil a “aumentar os seus esforços para erradicar a corrupção e a impunidade em todos os níveis”, tomando medidas para “garantir a rápida conclusão de todos os processos relacionados com a Lava Jato”, a maior operação lançada no país para combater o branqueamento de capitais. A avaliação também criticou a falta de avanços claros na criação de uma instituição independente de direitos humanos no Brasil, diz o português Expresso.

Marielle

O argentino Centro Latino-Americano de Análise Estratégico recupera as informações sobre a delação de Elcio de Queiroz em torno do assassinato de Marielle Franco e seu motorista. “… Estamos lidando com a existência de um ou mais mandantes que queriam eliminar politicamente Marielle por suas atividades em defesa dos direitos humanos das populações mais pobres e vulneráveis que vivem nas áreas periféricas do Rio de Janeiro, especialmente nas comunidades e bairros da Baixada Fluminense. Desde que foi eleita em 2016, Marielle Franco tem sido uma lutadora proeminente e incansável para proteger a vida da população pobre, negra e LGBTQIA+ que vive nessas áreas. A resolução desse caso está começando a mostrar seus primeiros resultados seis meses após a posse das novas autoridades.” O texto é assinado por Fernando de la Cuadra, doutor em Ciências Sociais.

Mercosul-União Europeia

O Observador traz reportagem sobre as negociações do acordo Mercosul-União Europeia. Informa que Lula, que preside o Mercosul, quer enviar uma resposta à EU em meados de agosto. E retoma as questões ambientais e das compras governamentais, dizendo que há quem diga que o acordo parece difícil, mas outros afirmam que há uma “janela está se fechando”.

Exército vazio

Um artigo no portal chinês SOHU.COM reportado pelo latino Nodal destaca a perspectiva de analistas chineses sobre as forças armadas do Brasil, que são descritas em um artigo como o “exército mais falso e vazio” do mundo. Os analistas argumentam que a eficácia de combate das tropas brasileiras é extremamente baixa e que o país ocupa uma posição muito baixa no cenário mundial em termos de eficácia de combate militar. O relatório diz ainda que, no Brasil, a grande maioria (80%) dos gastos militares é destinada a salários e pensões, e não à aquisição de equipamentos e armas, que no Brasil recebem, de acordo com o sohu.com, apenas 1,3% do orçamento, sendo o restante gasto com salários e manutenção. Esse desequilíbrio na alocação de recursos, na opinião dos chineses, mostra uma deficiência na estrutura militar do Brasil, indicando uma falta de investimento em armas e equipamentos modernos.

Cuba

A Associação Nacional de Cubanos Residentes no Brasil-José Martí (Ancreb-JM) saudou nesta quarta-feira o Dia da Rebeldia Nacional na ilha caribenha e a resistência de seu povo. Em sua declaração, o grupo recordou que, no ano do centenário do herói nacional José Martí, em 26 de julho de 1953, um grupo de jovens revolucionários liderados por Fidel Castro atacou os quartéis Moncada e Carlos Manuel de Céspedes nas cidades de Santiago de Cuba e Bayamo, respectivamente, noticia a Prensa Latina.

Leave comment