Equador declara estado de ‘conflito armado interno’ e líderes da AL expressam apoio a Noboa

Equador declara estado de ‘conflito armado interno’ e líderes da AL expressam apoio a Noboa

EQUADOR SOB O TERROR

O presidente do Equador Daniel Noboa declarou nesta quarta-feira que seu país se encontra em estado de “conflito armado interno” e ressaltou a determinação em não ceder a grupos terroristas – que  segundo ele contam com cerca de 20 mil membros em território equatoriano –, além de advertir juízes, policiais e militares que a colaboração com criminosos pode levá-los a responder pelos mesmos crimes, garantindo que seu governo irá proteger apenas os cidadãos.

Ele relativizou imagens de agentes penitenciários retidos, dizendo que sua divulgação pelos sequestradores tem a intenção de causar mais terror, e anunciou o início da extradição da população carcerária estrangeira, composta predominantemente por peruanos, venezuelanos e colombianos. (Prensa Latina).

O Equador era um reduto de relativa paz até pouco tempo atrás, quando viu seus índices de assassinatos e violência associados ao tráfico de drogas aumentarem nos últimos anos, transformando-o em um dos países mais perigosos da América Latina.

O decreto de “conflito armado interno” emitido hoje por Noboa ordena que as Forças Armadas atuem para “neutralizar” 22 facções criminosas “dentro dos limites do direito internacional humanitário”, e ocorre após o Equador mergulhar no caos e no derramamento de sangue em decorrência da fuga da prisão do principal líder do narcotráfico do país no último domingo (7), que resultou em uma onda de ataques criminosos dentro e fora das prisões, resultando em assassinatos de policiais e agentes penitenciários, além da invasão de uma estação de TV por gângsteres armados, durante uma transmissão ao vivo. (Guardian e El Tiempo).

O governo do Peru enviou policiais para sua fronteira com o Equador, depois de decretar estado de emergência (AFP). A Colômbia também intensificou sua vigilância fronteiriça (Prensa Latina), e o governo do presidente Gustavo Petro expressou “apoio explícito e inequívoco às instituições democráticas e ao Estado de direito da República-Irmã do Equador”, desejando que a “situação de segurança seja estabilizada e a ordem pública restaurada” (El Mercurio). Também manifestaram seu apoio os governos do Chile, Argentina, Paraguai, República Dominicana, Bolívia, Venezuela, Costa Rica, México e instituições como a Comunidade Andina e a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (Nodal). O ex-presidente do Equador Rafael Correa anunciou apoio total e irrestrito a Daniel Noboa, e disse que o momento é “unidade nacional” e que “o Estado deve prevalecer e vencer” (La Nación).

Através do Itamaraty, o governo brasileiro declarou que “acompanha com preocupação e condena as ações de violência conduzidas por grupos criminosos organizados em diversas cidades do Equador”, e que “manifesta solidariedade ao governo e ao povo equatorianos diante dos ataques”.

AUTOSSUFICIÊNCIA EM GRÃOS

O grupo expandido do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), que vai incorporar Egito, Etiópia, Irá, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos (EAU) em 2024, pode se tornar uma plataforma para um mercado de cereais autossuficiente e independente do dólar americano, de acordo com a União Russa de Exportadores de Cereais.

Com a expansão, a produção de grãos do grupo passará de 1,17 para 1,23 bilhões de toneladas/ano, o equivalente a 44% do consumo mundial, e o consumo do grupo se aproximará dos números de produção, atingindo 1,22 bilhões de toneladas (Nodal).

ENFIM, QUEM MATOU MARIELLE?

O diretor-geral da Polícia Federal (PF) garantiu nesta segunda-feira (9) que as investigações sobre os assassinatos da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes serão concluídas até o final do primeiro trimestre de 2024. O crime, que teve repercussão internacional e fez da socióloga e feminista um símbolo político na luta pelos direitos humanos e pela maior participação das mulheres negras nos espaços de poder no Brasil, completará seis anos no próximo dia 14 de março (Prensa Latina).

A CAMINHO DO CRÉDITO DE CARBONO

Um consórcio formado pelas petrolíferas TotalEnergies e Shell e com administração da estatal Petrobras vai lançar um novo processo que visa limitar a emissão de gases de efeito estufa durante a extração de petróleo, na plataforma de Libra, que está localizada na bacia de Santos, a uma profundidade de 2.100 metros, sob uma espessa camada de sal, e tem reversas estimadas entre 8 e 12 bilhões de barris/dia.

O processo, que consiste na separação do óleo, que resulta do petróleo, do gás natural e do CO2 presentes nas camadas do campo ocorre no fundo do mar no momento da extração, antes que o óleo seja trazido à superfície, enquanto o gás é reinjetado no subsolo (El Observador).

GLOBAL X: DÁ-LHE BRASIL

A Global X, uma das principais provedores de fundos negociados em bolsas de valores (ETF) no mundo, está otimista em relação às perspectivas do Brasil, já que o país lidera um ciclo de afrouxamento monetário e supera as previsões de crescimento econômico. A empresa, que gerencia cerca de 48 bilhões de dólares em todo o mundo, considera o Brasil uma das oportunidades cíclicas mais atrativas nos mercados emergentes no momento e relata um aumento no interesse por parte de investidores internacionais (Reuters).

*Imagem em destaque: Flickr/Presidência do Equador

Tagged: , , , , , , ,

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.