“Lula nunca orientou votar contra dividendos”, diz presidente da Petrobras

“Lula nunca orientou votar contra dividendos”, diz presidente da Petrobras

O presidente da Petrobras disse nesta segunda-feira que o pagamento de um dividendo extraordinário pela companhia ainda está na mesa, acrescentando que o tema poderia ser votado em uma reunião de acionistas em abril. Jean Paul Prates também disse que o presidente Lula nunca orientou os membros do conselho nomeados pelo governo a votarem contra os dividendos, negando as notícias que contribuíram para uma queda de quase 11% no preço das ações da Petrobras na sexta-feira. Na quinta-feira, Prates apresentou ao conselho uma proposta de gestão para que a Petrobras pagasse aos acionistas 50% do potencial dividendo extraordinário, de acordo com os estatutos da empresa, mas os membros do conselho nomeados pelo governo votaram para reter o dinheiro. Prates deve se encontrar com Lula nesta segunda-feira, mas ele disse à Reuters que a reunião havia sido agendada antes da proposta e da votação da semana passada. Prates afirmou ainda que não está planejando deixar seu cargo por causa da polêmica em torno dos dividendos extraordinários.

No início da noite desta segunda-feira, a mídia brasileira publicou declarações de Lula sobre a polêmica dos dividendos extraordinários da Petrobras. Em entrevista à emissora de TV SBT, Lula criticou a ‘choradeira do mercado’ sobre dividendos e disse que Petrobras não pode pensar só nos acionistas. A entrevista foi gravada na manhã desta segunda-feira e a íntegra vai ao ar à noite. “Se eu for atender apenas a choradeira do mercado, você não faz nada. Porque o mercado é um rinoceronte, dinossauro voraz. Ele quer tudo para ele, nada para o povo”, disse.

GOLPE: 60 ANOS

O latino Nodal traz artigo de Jeferson Miola intitulado “Brasil: silêncio no 60º aniversário do golpe seria um erro histórico”.  As cúpulas militares se sentirão ainda mais fortalecida, apesar do atual momento de enorme desgaste e desmoralização, com oficiais de alta patente e ex-comandantes a caminho da prisão por minar a democracia.

O texto original está no Centro Latino-Americano de Análise Estratégica.

INFLAÇÃO

Em fevereiro, a taxa de inflação mensal do Brasil acelerou para a maior alta em um ano, segundo uma pesquisa da Reuters e deve começar a cair novamente nos próximos meses devido à oferta abundante de produtos agrícolas e condições econômicas mais brandas. Exceto por alguns efeitos sazonais, os preços ao consumidor no Brasil permaneceram calmos desde o início de 2023, graças a uma postura política rígida do banco central que está causando o esfriamento da economia, apesar de uma série de cortes modestos nas taxas. Os dados oficiais de inflação divulgados na terça-feira devem mostrar um aumento mensal mais rápido em fevereiro, subindo para 0,78% – provavelmente o mais alto desde fevereiro de 2023 – de 0,42% em janeiro, de acordo com a estimativa mediana de 25 economistas consultados entre 6 e 11 de março. “Esperamos um aumento de 0,78% devido a um aumento sazonal das mensalidades escolares, enquanto os preços dos combustíveis foram impactados pelo aumento do ICMS (imposto estadual)”, disse Mauricio Nakahodo, economista sênior do MUFG.

Veja Também:  ‘Pedi ao Papa ajuda para retirar garimpeiros ilegais das terras do meu povo’, diz líder Yanomami

CIDADES

O britânico Financial Times traz reportagem com o título “O futuro precário das novas cidades em expansão do Brasil”. A agricultura está criando riqueza rapidamente e impulsionando a economia do país. Mas será que o “ouro verde” pode sobreviver a um clima cada vez mais extremo? –questiona o jornal de economia.

DENGUE

“A impressionante crise de dengue no Brasil é um alerta para o mundo”, diz o americano Washington Post. A doença atingiu grande parte da América do Sul este ano, e o pior pode estar por vir, já que a mudança climática expande o alcance do mosquito transmissor do vírus.

O argentino La Nación publicou a tradução da reportagem sobre a dengue do Washington Post.

CUBA

Cuba e Brasil assinaram projetos de cooperação técnica nos setores de agricultura, saúde e participação social. Na presença de Ricardo Cabrisas, vice-primeiro-ministro cubano e chefe do Ministério do Comércio Exterior e Investimento Estrangeiro (Mincex); e Luiz Paulo Teixeira, ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar do Brasil, foram assinados 10 documentos que lançam as bases para a implementação de ações de grande impacto social. Os projetos têm como objetivo a troca de experiências em gestão de produção de alimentos, produção local de sementes em bases agroecológicas com ênfase na participação das mulheres, melhoria da gestão comercial do Grupo Empresarial Acopio e fortalecimento do Programa de Agricultura Urbana, Suburbana e Familiar na ilha das Antilhas, noticiou o Gramna.

Na foto, o presidente Lula e o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates / Ricardo Stuckert

Tagged: , , ,