Imagem 1

Lula planeja cúpula internacional para definir estratégia contra o crescimento da extrema-direita

Lula planeja cúpula internacional para definir estratégia contra o crescimento da extrema-direita

UMA CÚPULA GLOBAL CONTRA A EXTREMA-DIREITA

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende organizar um encontro com líderes democráticos para definir uma estratégia internacional diante do avanço da extrema-direita, em um evento à margem da Assembleia Geral da ONU, que acontecerá em setembro, em Nova Iorque.

“Estou tentando ver se a gente consegue fazer uma reunião com os chamados presidentes democratas […] para a gente definir uma estratégia de como vamos a nível internacional enfrentar o crescimento da extrema-direita e suas matrizes”, disse o presidente, nesta terça-feira (23), durante um café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto.

Defendendo a necessidade de união entre os setores de esquerda, progressistas e democráticos a nível global, Lula anunciou que viajará ao Chile em maio, e que espera que seu colega chileno, Gabriel Boric, convoque uma reunião de coordenação política com outros líderes, e compartilhou ter discutido a iniciativa com os presidentes da Espanha, Pedro Sánchez, e da França, Emmanuel Macron.

“Há muitas décadas que não víamos o surgimento de um movimento extremado no mundo. Não é uma exclusividade do Brasil. Eu sei que sou persona non grata pela extrema- direita. A minha volta à presidência do Brasil trouxe uma perspectiva muito grande de retorno do Brasil ao cenário internacional. Um simbolismo muito grande de volta da democracia e combate ao extremismo. E isso incomoda”, escreveu Lula, após a reunião, em sua conta na rede social X (antigo Twitter).

Lula comentou sobre o ressurgimento da extrema-direita em todo o mundo, em especial na América do Sul, destacando um retrocesso caracterizado pelo aumento da xenofobia, do racismo e da perseguição às minorias. Segundo ele, o Brasil emergiu como um polo de resistência contra essa tendência conservadora retrógrada, ganhando reconhecimento internacional (La Nación).

¡CHAU MILEI!

Ainda durante o café da manhã com jornalistas, Lula confirmou que o Governo brasileiro recebeu uma carta do presidente argentino Javier Milei, mas disse desconhecer o seu teor, já que não teve a oportunidade de lê-la.

O documentou foi entregue ao ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, pela sua colega argentina, ministra Diana Mondino, durante um encontro em Brasília, na semana passada, que marcou a primeira visita de Mondino ao Brasil desde a posse de Milei, em dezembro de 2023. Lula declarou que, depois de lê-la, informará à imprensa “o que o presidente da Argentina quer conversar com o Brasil”.

As relações entre Lula e Milei são nulas até o momento, não apenas devido a diferenças ideológicas, mas também aos insultos que Milei tem usado para se referir ao presidente brasileiro. Em contrapartida, o argentino mantém uma relação estreita com Jair Bolsonaro (el Diario AR).

¡HOLA PETRO!

Lula também indicou interesse em expandir e fortalecer os laços comerciais com a Colômbia, o que a mídia brasileira interpretou como uma medida para diminuir a dependência em relação à Argentina.

Nesse contexto, o líder brasileiro relatou ter acompanhado mais de 200 empresários em uma visita à Colômbia, promovendo a formação de parcerias com o país. Além disso, anunciou uma política de integração em infraestrutura sob a liderança da ministra Simone Tebet (La Política Online).

¡TRANQUILO MADURO!

E Lula elogiou a união da oposição Venezuela em torno de um candidato único, considerando-a uma medida ‘extraordinária’, e expressou o desejo de que todos os setores respeitem o resultado das eleições de 28 de julho.

A Plataforma Unitária Democrática (PUD), principal coalizão anti-chavista, escolheu Edmundo González Urrutia como candidato após a rejeição das candidaturas de María Corina Machado e Corina Yoris pelas autoridades eleitorais. Na ocasião, O governo brasileiro expressou preocupação com os obstáculos ao registro das candidatas, e recebeu uma resposta furiosa do Ministério das Relações Exteriores venezuelano (El Tiempo).

Veja Também:  RS: Nível do Guaíba começa a baixar; Leite anuncia construção de "cidades temporárias"

TIC-TAC…

O procurador-geral da República Paulo Gonet acusou a deputada de extrema-direita Carla Zambelli e o hacker Walter Delgatti de invadirem os sistemas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o órgão de fiscalização do sistema judiciário brasileiro. O Ministério Público Federal (MPF) aceitou as acusações, mas não forneceu mais detalhes sobre o caso.

Em 2023, o site The Brazilian Report informou que Delgatti estava trabalhando para Zambelli, algo que a deputada negou num primeiro momento, mas depois admitiu. A Polícia Federal (PF) efetuou buscas nos escritórios e na casa de Zambelli, e prendeu Delgatti por desobedecer restrições de internet impostas pelo tribunal. Ele foi acusado de invadir os sistemas do CNJ e de emitir ordens falsas de soltura para 11 pessoas detidas pela polícia, além de uma falsa ordem de prisão para o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

Dias depois de ser preso, o hacker Delgatti disse à CPI dos Atos Golpistas que havia recebido uma missão direta do então presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro: desacreditar o sistema eleitoral.

Em outro caso, Carla Zambelli é acusada no STF por apontar uma arma para um jornalista negro que a criticou e persegui-lo pelas ruas de São Paulo, na véspera do segundo turno presidencial (Brazilian Report).

TIC-TAC, MUSK…

O Supremo Tribunal Federal (STF) deu um prazo até a próxima sexta-feira (26) para a rede social X, anteriormente conhecida como Twitter, explicar por que não cumpriu integralmente decisões anteriores que ordenavam o bloqueio de contas. A decisão faz parte de uma investigação liderada pelo ministro Alexandre de Moraes contra o bilionário Elon Musk, proprietário da empresa, após ele afirmar que reativaria contas que o ministro havia ordenado bloquear. Musk classifica as decisões de Moraes como “inconstitucionais”.

O ministro investiga “milícias digitais” acusadas de espalhar notícias falsas e mensagens de ódio durante o governo anterior, além de liderar uma outra investigação, sobre os atos golpistas de 8 de janeiro de 2023.

Anteriormente, representantes legais do X afirmaram ter bloqueado 226 contas desde 2022 por ordens do STF ou do Tribunal Superior Eleitoral do Brasil (TSE). Eles também disseram que as contas permaneciam bloqueadas, sem permissão para transmitir vídeos ao vivo, além de garantir que cumpririam todas as decisões emitidas pelos tribunais (Reuters).

MUSK (DE NOVO)

Ao que parece, Elon Musk trava uma batalha em várias frentes. E, desta vez, a Austrália está na mira.

O X tem se recusado a atender às demandas do governo australiano para remover de sua rede postagens que incluíam vídeos e comentários sobre o esfaqueamento do bispo Mar Mari Emmanuel, que ocorreu em Sydney na semana passada.

“O comissário de censura australiano está exigindo proibição de conteúdo ‘global'”, escreveu Musk na sexta-feira (19). Ele acrescentou: “Nossa preocupação é que se QUALQUER país for autorizado a censurar conteúdo para TODOS os países, que é o que o “Comissário de Segurança Online” australiano está exigindo, então o que impede qualquer país de controlar toda a internet? Já censuramos o conteúdo em questão para a Austrália, aguardando apelação legal, e ele está armazenado apenas em servidores nos EUA” (Business Insider).

*Imagem em destaque: Brasília (DF) 23/04/2024 – Presidente Luiz Inácio Lula da Silva é visto em um telão na Empresa Brasil de Comunicação durante encontro com jornalistas em café da manhã no Palácio do Planalto. Foto: Joédson Alves/Agência Brasil

Tagged: , , , , , , , , , , , , , , , ,