Newsweek: BRICS acelera declínio da influência global dos EUA

Newsweek: BRICS acelera declínio da influência global dos EUA

Enquanto os Estados Unidos enfrentam desafios para manter sua influência no Sul Global, o BRICS, composto por Rússia, China, Índia, Brasil e África do Sul, segue em ascensão.

A revista estadunidense Newsweek publica artigo que trata do crescente papel e influência do bloco dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) na ordem econômica internacional, em contraste com os desafios enfrentados pelos Estados Unidos para manter sua influência no Sul Global, destacando que o BRICS está recebendo um número cada vez maior de candidaturas de países interessados em se juntar ao bloco, indicando uma mudança crescente na ordem econômica internacional.

O texto também menciona a reunião de alto nível dos diplomatas dos países do BRICS na Cidade do Cabo, África do Sul, como preparação para a cúpula de líderes anual que ocorrerá em Durban, em agosto, e ressalta que, embora o BRICS seja muitas vezes considerado pelos analistas ocidentais como uma aliança multilateral conveniente, as reuniões deste ano representam uma oportunidade para discutir até onde o grupo chegou e qual é o seu futuro. Há um crescente apelo para desafiar o sistema financeiro global liderado pelo Ocidente e o domínio do dólar dos Estados Unidos.

Tom O’Connor, comentarista de política externa e autor do texto, ainda menciona que a crescente atração pelo BRICS por parte de países do Sul Global está relacionada à percepção de uma erosão da arquitetura multilateral global, ao aumento das medidas unilaterais e sanções, e ao desejo de ter uma maior participação na definição da nova ordem global. O BRICS é visto como uma voz que articula os desafios enfrentados pelos países do Sul Global em um mundo desigual.

Quinta-feira de vitórias

A rede venezuelana Telesur publica conteúdo destacando o que seu correspondente no Brasil, André Vieira, chamou de “uma quinta-feira de vitórias para Lula da Silva”. De acordo com a publicação, as vitórias de Lula são:

Crescimento econômico: O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil aumentou 1,9% no primeiro trimestre deste ano em relação aos últimos três meses de 2022. Esse crescimento superou as estimativas dos analistas do mercado financeiro em mais de 0,5% e constituiu o maior crescimento trimestral desde 1996. Lula comemorou esse crescimento e afirmou que o país está melhorando.

Nomeação de Cristiano Zanin: Lula anunciou que nomeará o advogado Cristiano Zanin, responsável por sua defesa durante sua prisão política, como juiz do Supremo Tribunal Federal (STF). Lula expressou sua confiança em Zanin, destacando não apenas o papel que desempenhou em sua defesa, mas também acredita que Zanin se tornará um grande ministro do STF.

Veja Também:  Lula planeja cúpula internacional para definir estratégia contra o crescimento da extrema-direita

Aprovação de medida provisória: O Senado brasileiro aprovou a medida provisória 1.154/2023, proposta pelo governo do PT, que indica a reestruturação dos ministérios do Poder Executivo. Essa aprovação representa uma vitória para o governo de Lula, pois permite a implementação de mudanças na estrutura ministerial conforme planejado.

Equidade Salarial

O Senado brasileiro aprovou um projeto que visa promover a igualdade salarial entre homens e mulheres que ocupam o mesmo cargo ou exercem a mesma função, segundo o site argentino Télam. O projeto estabelece o pagamento igualitário para homens e mulheres na mesma função, e prevê também penalidades para casos de discriminação de gênero, raça ou etnia, incluindo o pagamento da diferença salarial devida e uma multa equivalente a dez vezes o valor do novo salário, em caso de comprovação de discriminação.

De acordo com a agência cubana Prensa Latina, a medida foi uma das promessas de campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva – com o apoio da então candidata e hoje ministra do Planejamento, Simone Tebet, em resposta às disparidades salariais identificadas em diversos estudos que apontaram que as mulheres recebem, em média, um salário 20% menor em comparação aos homens.

“É uma luta que travamos há mais de 35 anos e que finalmente deixará de ser um sonho”, escreveu a ministra da Mulher, Cida Gonçalves, nas redes sociais para comemorar a aprovação.

Bolsonaro inelegível

Jair Bolsonaro está cada vez mais próximo de ser considerado inelegível para cargos públicos. O ministro Benedito Gonçalves solicitou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que seja agendado um julgamento contra o ex-presidente, que enfrenta um total de 16 processos no TSE, todos relacionados ao suposto abuso de poder político. Uma condenação em qualquer um desses casos o impediria de concorrer a cargos nos próximos oito anos. As denúncias do Partido Democrático Trabalhista (PDT) afirmam que Bolsonaro abusou de sua posição como presidente ao usar canais de comunicação oficiais para questionar infundadamente o sistema eleitoral do Brasil. As informações são do Brazilian Report, que ressalta que, embora o dia exato do julgamento permaneça incerto, o site de notícias UOL informou 12 de junho como uma data provável.

*Imagem em destaque: Lula, em cerimônia de posse de Dilma Rousseff como presidenta do Novo Banco dos BRICS (Ricardo Stuckert)

Tagged: , , , , ,

Leave comment