Imagem 1

Presença de ministro russo no Brasil é tema na mídia externa

Presença de ministro russo no Brasil é tema na mídia externa

Carmen Munari

O Ministro das Relações Exteriores russo Sergei Lavrov agradeceu nesta segunda-feira (17/04) ao Brasil por seus esforços para resolver o conflito na Ucrânia, informa a Reuters e em seguida diz que os comentários de Lula os sobre a guerra têm “enervado Washington”. Lavrov e o ministro das Relações Exteriores brasileiro Mauro Vieira discutiram planos para aumentar as exportações de carne para a Rússia e garantir a importação de fertilizantes para os agricultores brasileiros. “Os Estados Unidos precisam parar de incentivar a guerra e começar a falar de paz”, disse Lula no fim de semana. A Casa Branca e o Departamento de Estado dos EUA não responderam aos pedidos de comentários sobre as observações de Lula, mas Michael McCaul, o presidente republicano do Comitê de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados dos EUA, chamou os comentários de Lula de “errados e irresponsáveis”. O tema foi destaque na home do site da agência.

A Associated Press (AP) foi na mesma linha, informando Lavrov expressou sua gratidão pela abordagem do Brasil ao pressionar pelo fim das hostilidades na Ucrânia – um esforço que tem irritado tanto Kiev quanto o Ocidente. “O presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva se recusou a fornecer armas à Ucrânia enquanto propõe um clube de nações incluindo o Brasil e a China para mediar a paz”, diz o texto, que retoma as declarações de Lula sobre a guerra. Lavrov disse aos repórteres em uma breve entrevista coletiva que o Ocidente se engajou em “uma luta bastante dura” para manter seu domínio nos assuntos mundiais, incluindo a economia e a geopolítica. Segundo a AP, “os críticos têm argumentado que a posição do Brasil visa evitar enfrentar um fornecedor chave de fertilizantes para suas plantações de soja, cujas exportações são em grande parte destinadas à China. Tanto a Rússia quanto a China têm assento permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas, e o Brasil há décadas tem procurado juntar-se a eles. Lavrov disse aos repórteres que a Rússia está apoiando a proposta do Brasil.

O Washington Post reproduziu o texto da AP.

The Guardian publicou texto nesta segunda, mas antes da visita do ministro russo ao Brasil e traz opiniões de analistas – “no mais recente de uma série de encontros bilaterais que podem perturbar os EUA”.  Para o Brasil, isso significa reconstruir e manter os laços com todos os parceiros, independentemente das tensões geopolíticas em outros lugares. “Para voltar à política internacional, o Brasil deve ter relações positivas com todos os países”, disse Rubens Duarte, coordenador da Mundolab, um centro de pesquisa de relações internacionais com sede no Brasil. Isto é coerente com a tradicional busca do Brasil pelo multilateralismo, acrescentou. Os principais parceiros comerciais do Brasil são a China e os EUA, enquanto o país sul-americano depende fortemente da Rússia para a importação de fertilizantes. Mas Lula também tem objetivos mais ambiciosos de política externa e aspira até mesmo que o Brasil desempenhe um papel de mediador da paz no conflito entre a Rússia e a Ucrânia. “A abordagem de Lula sobre o assunto na Ucrânia, tanto em substância quanto em retórica, está causando muita desconfiança em Washington e em outras capitais ocidentais da Europa”, disse Bruna Santos, diretora do Instituto Brasil no Wilson Center, um thinktank sediado em Washington.

Veja Também:  Aprovação de Lula cresce e rejeição cai em pesquisa Datafolha

O argentino La Nación também noticiou a visita de Lavrov. “Em uma breve declaração à imprensa, Lavrov reiterou que Moscou quer que o conflito na Ucrânia seja “resolvido o mais rápido possível”, mas “precisamos resolvê-lo de uma forma duradoura e não imediata”, acrescentou. Manifestantes protestaram contra a presença de Lavrov, informa o jornal, que publicou fotos com cartazes: “Lavrov fora do Brasil”.

No Público português: “O presidente da República (de Portugal) disse que vai transmitir ao seu homólogo brasileiro a posição de condenação de Portugal à invasão da Ucrânia pela Rússia, independentemente de haver uma eventual mudança de alinhamento por parte do Brasil nesta questão.” E afirmou que não se arrependeu de convidar Lula a visitar Portugal entre o próximo sábado e o dia 25 de Abril.

O português Correio da Manhã, noticiou as aspas de Lavrov em Brasília “Estamos a falar sobre várias questões muito importantes, e as visões de Rússia e Brasil são únicas em relação aos acontecimentos na Rússia. Também estamos a atingir uma ordem mundial mais justa, mais correta e baseada no direito. Nisso nós temos uma visão de mundo multipolar, levando em consideração vários países, não só alguns poucos”, declarou Lavrov, querendo mostrar concordância entre as posições do presidente do seu país, Vladimir Putin, e do Brasil, Lula da Silva.

Economia

A Reuters noticia que o governo brasileiro está trabalhando em medidas adicionais de receita a serem anunciadas no segundo semestre deste ano, disse o chefe da Receita Robinson Barreirinhas na segunda-feira, destacando a confiança de que este conjunto de ações irá melhorar as contas públicas. Falando em uma coletiva de imprensa sobre o projeto de orçamento para 2024, Barreirinhas afirmou que as medidas seriam adicionais às já anunciadas pelo ministro da Fazenda Fernando Haddad e que “questões estratégicas” estão envolvidas no momento de sua divulgação.

Na foto, o ministro Sergei Lavrov na chegada ao Palácio do Itamaraty

Tagged: , , , ,

Leave comment