Imagem 1

Suspeito de fraude, Bolsonaro atrai mídia externa

Suspeito de fraude, Bolsonaro atrai mídia externa

Carmen Munari

A mídia internacional acompanhou de perto a operação da Polícia Federal na casa do ex-presidente Jair Bolsonaro e a prisão de seus auxiliares realizada nesta quarta-feira. O ajudante de ordens Mauro Cid é um dos presos. Agências e jornais dos EUA, Europa e América Latina seguiram os detalhes da busca e apreensão na residência de Bolsonaro. A suspeita da investigação que está sendo realizada pelo Supremo Tribunal Federal é de fraude em cartões de vacinação do ex-presidente e de uma filha. Nos poucos dias em que retornou de autoexílio nos Estados Unidos, Bolsonaro tem a PF em seu encalço.

Com chamada na capa, as agências Reuters e Associated Press (AP) noticiaram a operação da Polícia Federal, que cumpriu mandados de busca e apreensão na casa de Bolsonaro em Brasília e prendeu seis assessores do ex-presidente.

“Casa de Bolsonaro invadida, telefone apreendido em investigação sobre registros de vacinas no Brasil” –título da Reuters, referindo-se à Covid 19. A investigação pode responder a perguntas sobre como Bolsonaro, um cético estridente do coronavírus que prometeu nunca tomar uma vacina contra a Covid, foi registrado como vacinado em registros de saúde tornados públicos em fevereiro. Bolsonaro confirmou a invasão de sua casa em Brasília aos jornalistas e reiterou que nunca havia tomado a vacina contra a Covid. Ele negou qualquer participação na suposta falsificação de documentos.

Na AP, “Casa de Bolsonaro é revistada enquanto o Brasil investiga cartões de vacina falsos”. Vários outros locais também foram revistados e meia dúzia de pessoas foram presas, segundo a polícia. Um de seus aliados mais próximos, Mauro Cid, foi preso.

Washington Post publicou a nota da AP e manteve até o título. No texto, a Polícia Federal do Brasil fez buscas na casa do ex-presidente Jair Bolsonaro e apreendeu seu telefone no que diz ser uma investigação sobre a suposta falsificação de cartões de vacina contra a Covid-19

South China Morning Post também trouxe a reportagem da AP.

“Polícia brasileira faz buscas na mansão de Jair Bolsonaro e prende assessor”, título preciso do britânico The Guardian. O texto (“redondo”, na gíria jornalística) do correspondente no Rio, Tom Phillips, informa que apolícia investiga a suspeita de falsificação de registros de vacinação contra a Covid-19 para viajar para os EUA. E o contexto publicado pelo jornal: Bolsonaro enfrentou condenação internacional por sua forma imprudente e anticientífica de lidar com o surto de Covid no Brasil, que já causou mais de 700.000 mortes. O político de extrema-direita minou repetidamente os esforços de contenção e vacinação contra uma doença que ele considerou uma “gripezinha”. Na semana passada, Lula, que assumiu o cargo em janeiro, disse que Bolsonaro deveria ser levado a um tribunal por suas ações durante aquele “massacre”.

“Brasil: polícia faz buscas na casa de Jair Bolsonaro”, título do francês Le Monde, com informações da agência France Press. O jornal lembra que durante seu mandato, Bolsonaro criticou repetidamente as vacinas anti-Covid, dizendo em várias ocasiões que não tinha intenção de ser imunizado, enquanto a pandemia já matou mais de 700.000 pessoas no Brasil.

Veja Também:  Lula anuncia R$ 5,5 bi para ensino superior e pede fim de paralisação em instituições federais

Com chamada no alto da home, o El País titula “Polícia faz buscas na casa de Bolsonaro por suspeitas de que ele falsificou sua carteira de vacinação”. O texto do correspondente no Rio, Joan Royo Gual, qualifica Bolsonaro como líder de extrema direita.

O argentino La Nación: De acordo com uma declaração da Polícia Federal, a investigação liderada pelo juiz Alexandre de Moraes está investigando uma rede de corrupção e fraude no Ministério da Saúde para emitir certificados falsos de vacinação contra a Covid-19 e permitir que pessoas antivacinas entrem nos Estados Unidos com eles. Ao sair de sua casa, o ex-presidente confirmou que nunca havia sido vacinado contra a Covid, “nunca neguei isso”, informou o jornal utilizando agências estrangeiras e sites de jornais brasileiros.

No Clarín, a lembrança que em fevereiro o governo Lula informou que há um registro de vacinação contra o coronavírus do ex-presidente Jair Bolsonaro no sistema do Ministério da Saúde. De acordo com o documento, o ex-presidente recebeu a dose única da Janssen em 19 de julho de 2021, em um pronto-socorro em Perus, na zona norte de São Paulo. Bolsonaro disse em mais de uma ocasião que nunca foi vacinado.

Financial Times acompanhou o noticiário: “A casa de Jair Bolsonaro foi invadida pela polícia como parte da investigação sobre vacinas”

A investigação indica que o objetivo era “sustentar o discurso destinado a atacar a vacina contra a COVID-19”, informa o The Independent.

Outras publicações sobre a investigação contra Bolsonaro e assessores:

Bloomberg

NPR, rede de rádio dos EUA, cita falsificação de cartão de vacinação.

El Tiempo, Colômbia

Prensa Latina, Cuba

La Diaria, uruguaio

Sem dólar

O site russo em inglês RT traz reportagem informando que os presidentes da Argentina e do Brasil anunciaram planos para continuar trabalhando no desenvolvimento de um mecanismo que lhes permita evitar o uso do dólar americano no comércio bilateral. A Argentina, atingida pela crise, está buscando reconstruir suas reservas para cobrir os custos comerciais e os futuros pagamentos da dívida como um componente fundamental de um grande acordo de dívida com os credores internacionais.

Cuba

Cuba e Brasil ratificaram hoje a vontade de ampliar e fortalecer as relações interparlamentares durante a visita de uma delegação de legisladores do país sul-americano ao Capitólio Nacional. Durante a reunião, a delegação composta por diferentes bancadas da Câmara dos Deputados do Brasil expressou sua solidariedade com a ilha, informou a Assembleia Nacional do Poder Popular de Cuba, informou a cubana Prensa Latina.

Tagged: , , , , , ,

Leave comment