Imagem 1

The Guardian: Retaliação policial em SP deixa pelo menos 8 mortos

The Guardian: Retaliação policial em SP deixa pelo menos 8 mortos

O britânico The Guardian, sempre atento às questões relevantes do Brasil, traz reportagem sobre a operação policial realizada na Baixada Santista (SP) desde sexta-feira (28), após a morte de um policial da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar). Segundo o jornal, as autoridades brasileiras pediram uma investigação depois que uma operação policial no litoral do estado de São Paulo deixou pelo menos oito pessoas mortas, em um aparente ato de retaliação. Cerca de 600 policiais foram mobilizados em toda a região da Baixada Santista em resposta ao assassinato de um policial por traficantes de drogas na cidade de Guarujá na última quinta-feira. Desde então, moradores aterrorizados relataram ameaças e casos de tortura e, no final do domingo, o ouvidor da polícia do estado de São Paulo disse que pelo menos 10 pessoas haviam morrido, de acordo com relatórios da polícia.

O governador do estado, Tarcísio de Freitas, contestou esse número, dizendo que oito pessoas haviam sido mortas. Uma das vítimas foi um vendedor ambulante que levou nove tiros e cujo corpo apresentava sinais de tortura, informou o jornal Folha de S.Paulo. “Esses casos de operações de ‘vingança’ são bastante frequentes”, disse David Marques, coordenador de projetos do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. O policial Patrick Bastos Reis, membro da unidade tática da Rota da polícia militar, foi morto durante uma patrulha na semana passada. Três suspeitos foram presos e um morreu em confronto com a polícia, informou o secretário de segurança do estado, Guilherme Derrite.

Lula/Educação

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira que fará da educação um investimento necessário para o futuro do Brasil, que enfrentou o descaso no governo do ex-presidente Jair Bolsonaro, informa a Prensa Latina. “A escola de tempo integral vem tarde, porque talvez a gente não tenha feito isso há 20 anos, há 15 anos, há 30 anos. Não fizemos, certamente porque alguém disse que custava muito caro”, disse Lula na cerimônia em que sancionou o projeto de lei que cria o programa de escola em tempo integral para ampliar em um milhão as matrículas no ensino público.

O Granma também publicou a sanção da escola em tempo integral.

Políticos mortos

Pelo menos 26 líderes políticos e 14 familiares foram assassinados entre janeiro e junho no Brasil, de acordo com dados divulgados pelo Grupo de Pesquisas Eleitorais (GIEL) da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Durante esse período, no total, os líderes políticos e seus familiares foram vítimas de 217 casos de violência, incluindo ameaças, agressões, homicídios, assassinatos, atentados e sequestros. Citando a investigação, o site R7 indicou que o vereador Thiago Vieira Lopes, 37 anos, conhecido como Thiago Bala, foi morto a tiros em maio na área rural do município de Itaguaru, localizado a 129 quilômetros de Goiânia, capital do estado de Goiás, informa a Prensa Latina.

Rating em alta

A publicação Brazilian Report informa que, após a elevação do rating soberano do Brasil de “BB-” para “BB” na semana passada, a agência Fitch Ratings elevou nesta segunda-feira os ratings de crédito de longo prazo de 19 empresas brasileiras de “BB” para “BB+”, com perspectiva estável. As empresas são Petrobras, Sabesp, Rumo, Localiza, Engie Brasil, Rede D’Or, Energisa, Taesa, BR Malls, Alupar, Cesp, Comgás, MRS Logística, Energisa Minas Rio, Energisa Paraíba, Energisa Sergipe, Aché Laboratórios Farmacêuticos, TAG e Globo.

Brics

A agência Reuters publicou uma análise sobre os Brics no domingo, 30/08. Brics são um acrônimo em busca de um papel geopolítico. Quando Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul se reunirem para sua cúpula anual em Joanesburgo no próximo mês, uma das principais questões a serem discutidas será a expansão do clube. Já se passaram mais de duas décadas desde que Jim O’Neill, ex-economista-chefe da Goldman Sachs, inventou o termo para combinar quatro grandes economias emergentes com enorme potencial. (A África do Sul não estava em sua lista). Todos os quatro países tiveram um bom desempenho inicial. Desde então, a Rússia, o Brasil e a África do Sul têm enfrentado dificuldades econômicas.  Apesar de suas reuniões anuais, os BRICS não realizaram nada de notável juntos. Criaram um investidor multilateral, o Novo Banco de Desenvolvimento, em 2015. Mas ele aprovou apenas US$ 33 bilhões em projetos em toda a sua história. O Banco Mundial, por outro lado, comprometeu US$ 104 bilhões somente no ano fiscal de 2022.

Veja Também:  Tragédia no RS mudou o paradigma da resposta aos desastres climáticos no Brasil, diz Lula

MST / Indígenas

Um grupo de cerca de 1.500 manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) invadiu mais uma vez uma fazenda da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), um órgão federal, nesta segunda-feira. O MST já havia ocupado a área em abril, mas saiu depois de uma semana. A seção do movimento em Pernambuco argumentou que eles reocuparam a área porque o governo federal não cumpriu a promessa de criar assentamentos para as famílias de ocupantes, informa o Brazilian Report. O MST anunciou que a ocupação de hoje teve como objetivo impedir a realização da edição deste ano do Semiárido Show, uma exposição de tecnologia agrícola. O evento, organizado pela Embrapa, está programado para os dias 1 a 4 de agosto.

No Brasil, 800 indígenas foram assassinados durante l governo Bolsonaro, segundo o coletivo Kaosenlared. Os dados são da Agência Pública.

População

O Centro Latino-Americano de Análise Estratégica (Clae) traz longo texto analítico sobre a população brasileira. Informa que os primeiros resultados do Censo Demográfico de 2022 surpreenderam o Brasil. Para 2021, o IBGE estimou a população brasileira em pouco mais de 213 milhões de pessoas. Mas em 2022, o censo “encontrou” 10 milhões de pessoas a menos no Brasil. A discrepância foi tamanha que muitos a consideraram um indicador da baixa confiabilidade do sistema estatístico.

Ucrânia

Arábia Saudita sediará conversas sobre o plano de paz da Ucrânia, dizem diplomatas, informa o New York Times. Enviados de países como Estados Unidos, Brasil, China e Índia foram convidados, mas não ficou claro quem participaria.

The Guardian dá uma versão diferente. Os EUA e seus aliados buscam tirar países como o Brasil e a Índia de cima do muro e apoiar as propostas de Kiev para “uma paz justa e duradoura”. Informa que Jake Sullivan, o conselheiro de segurança nacional dos EUA, deve participar da reunião na Arábia Saudita neste fim de semana, na qual a Ucrânia e seus aliados tentarão persuadir países do sul global a apoiar as propostas de Kiev para o fim da guerra. De acordo com as autoridades envolvidas no planejamento da reunião, o objetivo principal é fazer com que países neutros, como o Brasil e a Índia, deixem de lado sua abordagem à invasão russa.

O site norte-americano Politico diz que a Rússia afirmou nesta segunda-feira que acompanhará de perto as negociações sobre a Ucrânia, que serão realizadas na Arábia Saudita no início do próximo mês.

Leave comment