Imagem 1

Arrasados pela mudança climática, agricultores de Caxemira encontram salvação na lavanda

Arrasados pela mudança climática, agricultores de Caxemira encontram salvação na lavanda

Fonte valiosa de óleos essenciais encontrados em sabonetes, cosméticos, fragrâncias, aromatizadores e itens medicinais, a lavanda salvou da ruína agricultores de Bijbehara, na região indiana de Caxemira

Por Umar Manzoor Shah

SRINAGAR, Índia – Quando se fala em mudanças climáticas, resiliência é crucial para a justiça. Em Bijbehara, uma aldeia ao sul da capital da região indiana de Caxemira, Srinagar, o cultivo de lavanda oferece uma nova chance de sobrevivência para os agricultores que enfrentam chuvas fora de época, ondas de calor prolongadas e uma grave escassez de água.

Mohammad Subhan Dar cuida diligentemente de algumas plantas de cor roxa brilhante em uma fazenda de menos de dois hectares em Bijbehara. À medida que as pessoas se aproximam, elas ficam hipnotizadas ao ver os extensos campos de lavanda, onde entre 10 e 15 agricultores, incluindo Dar, se preparam para uma colheita promissora.

Sorrisos adornam os rostos desses pequenos agricultores diante dessa perspectiva próxima.

No entanto, nem sempre foi assim. Os agricultores desta aldeia estavam profundamente preocupados com as importantes mudanças nos padrões climáticos. Chuvas fora de época, ondas de calor prolongadas e uma grave escassez de água se tornaram fontes constantes de preocupação para eles.

No vale da Caxemira, um estado ao norte da Índia, próximo à fronteira com o Paquistão, a agricultura é a principal fonte de subsistência. Os agricultores representam 80% da população do estado, e a agricultura e a horticultura são a espinha dorsal da economia regional. O clima único nas encostas do Himalaia permite o cultivo de frutas e vegetais exóticos que normalmente não são encontrados em outras partes do país.

De acordo com registros do governo, estima-se que 60% da agricultura em Caxemira dependa da água da chuva para irrigação. No entanto, nos últimos anos, o vale testemunhou as piores estações secas de sua história.

O Departamento Meteorológico mostra que, em vez de uma média de 622 mm de neve, as montanhas do vale nos últimos três anos viram apenas 172 mm, o que indica uma mudança problemática nos padrões climáticos. Isso afetou diretamente o setor agrícola da região, e os agricultores sofreram perdas devastadoras.

Mohammad Subhan Dar é um desses agricultores que, em 2018, decidiu abandonar a agricultura para sempre.

“Minha vasta terra não me proporcionava renda. Era como trabalhar o ano todo e não obter nada no final. Enquanto plantávamos arrozais, com a esperança de ter colheitas lucrativas, o tempo seco nos deixava arruinados. Nem mesmo conseguíamos cobrir os custos básicos, quanto mais ganhar algo com isso”, disse Dar à IPS.

Nessa época, o Departamento de Agricultura do governo perguntou aos agricultores se eles poderiam mudar para métodos agrícolas alternativos que pudessem fornecer colheitas lucrativas devido aos indícios de mudança climática na região. O cultivo de lavanda surgiu como uma alternativa viável.

A lavanda é uma valiosa fonte de óleos essenciais, usados na produção de diversos produtos, incluindo sabonetes, cosméticos, fragrâncias, desodorantes e itens medicinais. As plantas da lavanda, em particular, não precisam de muita água e tendem a resistir a pragas e outras criaturas que prejudicam as colheitas.

Uma única planta de lavanda pode começar a ser colhida após apenas dois anos de plantio, continua florescendo por até 15 anos e requer manutenção mínima.

O cultivo de lavanda começou como parte da “Missão Aroma”, um esforço de colaboração entre o Conselho de Pesquisa Científica e Industrial e o Instituto Indiano de Medicina Integrativa, ligado ao Ministério de Ciência e Tecnologia.

Veja Também:  Problemas de saúde mental se agravam entre as mulheres afegãs

Após o sucesso da Fase I, o Conselho de Pesquisas Científicas e Industriais (CSIR) iniciou a Fase II, um esforço mais amplo que visa envolver mais de 45 mil pessoas treinadas e beneficiar mais de 75 mil famílias. Segundo os funcionários, o clima em Jammu e Caxemira é excepcionalmente adequado para o cultivo de lavanda, devido à sua capacidade de prosperar em temperaturas frias e condições de verão moderadas.

A região da Caxemira, dentro do Território da União de Jammu e Caxemira, é amplamente reconhecida como um importante centro de plantas medicinais. A lavanda apresenta uma excelente promessa como erva terapêutica e aromática, que pode ter um impacto positivo nas perspectivas econômicas e de saúde da Índia.

A lavanda produzida em Caxemira chamou a atenção tanto do mercado nacional quanto internacional. Os resultados das pesquisas indicaram que o cultivo de lavanda pode ser lucrativo para os agricultores, desde que haja uma demanda sustentada e atividades agrícolas bem organizadas.

Dar diz que tinha um pedaço de terra adjacente ao seu arrozal, e outros aldeões tinham áreas de terra cultivável ali.

“Demos as mãos, recebemos treinamento do governo e começamos a cultivar lavanda. Ela requer poucos cuidados, e a mudança climática não afeta sua produção de forma alguma. Foi uma situação em que todos saíram ganhando. As esperanças eram altas desde o início. À medida que nos aventuramos nesse tipo de cultivo, descobrimos sua importância”, disse Dar.

Outro agricultor, Imtiyaz Ahmad, disse que os benefícios do cultivo de lavanda são muito maiores do que os do cultivo de arroz, e os agricultores estão um pouco preocupados com as perdas se o clima continuar ruim.

“Aqui não há problemas com tempo seco ou fortes chuvas que possam afetar o cultivo de lavanda. Pesquisas governamentais mostraram o quão adequado este lugar é para esse tipo de plantação. Muitos agricultores estão agora optando por esta planta aromática e gradualmente abandonando os métodos tradicionais que só lhes causavam ansiedade e prejuízos”, observou Ahmad.

Os agricultores afirmam que a venda de pelo menos um litro de seu óleo lhes permite ganhar 30 mil rúpias (500 dólares). Além disso, eles garantem que a lavanda cultivada em um hectare de terra fornece pelo menos 50 litros de óleo de lavanda.

De acordo com estimativas do governo, mais de mil famílias de agricultores estão atualmente envolvidas no cultivo de lavanda em mais de 200 acres em várias regiões de Jammu e Caxemira. Cada um desses agricultores ofereceu oportunidades de emprego para pelo menos outras cinco pessoas; como resultado, a missão já beneficia mais de 6 mil famílias.

“Os agricultores dos distritos de Anantnag, Pulwama, Budgam, Ganderbal e Kupwara estão começando a abandonar os cultivos tradicionais e estão cada vez mais adotando o cultivo de lavanda”, disse um alto funcionário do governo à IPS.

Dar acredita que assegurou seu futuro.

“Acabou por se tornar a melhor alternativa à agricultura tradicional em tempos de mudanças substanciais que ocorrem em ritmo acelerado em Caxemira”.

*Imagem em destaque: Mohammad Subhan Dar, um agricultor da região de Caxemira, no norte da Índia, havia decidido abandonar a agricultura para sempre devido aos impactos das mudanças climáticas que arruinavam suas culturas tradicionais. No entanto, um projeto que introduziu o cultivo de lavanda salvou sua pequena fazenda (Umer Asif/IPS)

**Publicado originalmente em IPS – Inter Press Service | Tradução de Marcos Diniz

Tagged: , , , ,

Leave comment