Imagem 1

Lula na COP27 é destaque na mídia estrangeira

Reuters cita rockstar e NYT diz que expectativas são altas com novo presidente

     Os principais veículos de comunicação internacionais destacaram a participação do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, a COP27, realizada no Egito. A presença de Lula na conferência marca a volta do Brasil ao centro do debate mundial sobre o meio ambiente. A notícia, muito positiva para o país, rendeu grande repercussão internacional nos relatos sobre a COP27.

   Lula foi convidado a participar da COP27 pela presidência do Egito. Na quarta-feira (16/11), ele foi recebido com aglomeração de jornalistas de todo o mundo.

    “As expectativas são altas com Lula exuberante falando na Cúpula”, destacou o “The New York Times”. Segundo o veículo, Lula eletrizou o encontro. “O entusiasmo era palpável aqui para Luiz Inácio Lula da Silva, conhecido simplesmente como Lula, para a maioria”. Para o NYT, a principal mensagem deixada pelo presidente eleito foi que “o Brasil está saindo do casulo onde esteve nos últimos anos”, se referindo ao “pesadelo” da gestão atual nas questões ambientais.

   Em destaque no “The Washington Post”, “Lula promete novo dia para a Amazônia”. O jornal da capital norte-americana afirma que, a seis semanas de tomar posse como novo presidente do Brasil, à multidão presente na conferência do clima, Lula promete reprimir o desmatamento ilegal na Amazônia, retomar as relações com países que financiam a proteção florestal e trabalhar para possibilitar a realização da COP de 2025 na floresta tropical.

    O francês “Le Monde” disse que, em seu “aguardado discurso”, Lula pediu a criação urgente de fundo para cobrir danos climáticos. O veículo destacou também os encontros de Lula com os enviados especiais para o clima dos Estados Unidos, John Kerry, e da China, Xie Zhenhua.

     “Ele se entusiasma com o tema”, afirma o “The Guardian”. O jornal inglês ressaltou também a fala de Lula em defesa do fim do poder de veto no Conselho de Segurança da ONU.

    “Voltamos para ajudar a construir uma ordem mundial pacífica, assentada no diálogo, no multilateralismo e na multipolaridade. Voltamos para propor uma nova governança global. O mundo de hoje não é o mesmo de 1945. É preciso incluir mais países no Conselho de Segurança da ONU e acabar com o privilégio do veto, hoje restrito a alguns poucos, para a efetiva promoção do equilíbrio e da paz”, disse Lula, segundo o Guardian.

Veja Também:  Temas do aborto e da legalização da maconha ultrapassam fronteiras e atraem mídia internacional

   A agência de notícias Bloomberg ressaltou que, apesar do apelo de Lula para salvar a Amazônia ter sido recebido como herói na COP27, o presidente eleito encontrará dificuldades para cumprir suas promessas dadas as altas taxas de desmatamento, o desafio de policiar uma área geográfica enorme e violenta, além das restrições fiscais.

   Pelas mãos de Lula, Brasil volta à luta contra as mudanças climáticas, declarou o “El País”. O jornal ainda disse que Lula encerrou um ciclo de quatro anos de impunidade ao sinalizar que priorizará em sua gestão o combate aos crimes ambientais.

   “A aparição de Lula, que fez um retorno extraordinário aos holofotes políticos no ano passado, foi provavelmente um dos eventos mais energizastes da COP27”, disse o argentino “Clarín”, ao destacar a promessa de Lula de empreender “uma grande luta contra o desmatamento”.

   Para a agência de notícias britânica Reuters, Lula foi recebido como um ‘rockstar’ no Egito. Segundo a agência, enquanto Bolsonaro se recusou a realizar a cúpula do clima de 2019 no Brasil, Lula ofereceu o país para sediar a COP30, em 2025.

   Confira as manchetes sobre a participação de Lula na COP27 ao redor do mundo:

   The Washington Post
   
   El País

   Clarín

   Le Monde

   The Guardian

   BBC
   
   La Reppubblica

   Reuters

   Bloomberg

   DN

Leave comment