Fraude eleitoral: Bolsonaro é denunciado pelo hacker Walter Delgatti em CPI

Fraude eleitoral: Bolsonaro é denunciado pelo hacker Walter Delgatti em CPI

Ex-presidente de extrema-direita também teria proposto que ministro Alexandre de Moraes (STF) fosse grampeado e que Delgatti atuasse publicamente como garoto-propaganda contra as urnas eletrônicas. As acusações foram feitas nesta quinta-feira (17), durante a CPI Mista dos atos golpistas de 8 de janeiro. Bolsonaro nega. (Foto: Lula Marques/ Agência Brasil)

Mais uma acusação envolvendo Jair Bolsonaro. Nesta quinta-feira (17), durante a CPI Mista dos atos golpistas de 8 de janeiro, o hacker Walter Delgatti afirmou que o então presidente o chamou para fraudar as urnas eletrônicas durante as eleições de 2022. O objetivo era criar uma onda de desconfiança em relação à lisura do sistema eleitoral, obrigando o uso do voto impresso. Delgatti também afirmou que Bolsonaro teria lhe pedido para grampear o ministro do STF, Alexandre de Moraes; e que servisse de garoto-propaganda mentindo em vídeo sobre a segurança das urnas. A Polícia Federal requisitou um novo depoimento do hacker para esta sexta-feira (18), para esclarecer possíveis contradições entre o que foi dito por ele hoje e ontem à PF.

Como destaca o espanhol El Diário, segundo o depoimento do hacker, o ex-presidente e alguns de seus assessores teriam sugerido a criação de uma falsa urna eletrônica, na qual um eleitor marcaria seu voto em um candidato e seria registrado em outro. O material seria usado como uma falsa prova de que o sistema era fraudulento. Delgatti afirmou que chegou a ser encaminhado pelo presidente ao Ministério da Defesa para discutir o assunto com especialistas em informática. Os encontros com Bolsonaro teriam acontecido na residência oficial da Presidência. A ideia da urna falsa surgiu, segundo o hacker, após ele ter explicado a Bolsonaro que os sistemas de votação não poderiam ser violados, devido aos seus robustos mecanismos de segurança.

Ele sustenta que lhe foi sugerido que invadisse outras redes da Justiça, nas quais fez entrada, e ainda carregou um mandado de prisão falsa contra o juiz Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Durante o seu depoimento, frente a frente com Sérgio Moro, atual senador da República e membro da CPI Mista, ele afirmou: “li as conversas de Vossa Excelência, li a parte privada, e posso dizer que o senhor é um criminoso contumaz, cometeu diversas irregularidades e crimes”.

Delgatti aceitou fazer acareação com Bolsonaro sobre as suas denúncias. Confira a íntegra do depoimento. O tema já é notícia no Ámbito , Prensa Latina, Expresso 50.

“FESTA DA SELMA”

O sul-africano Daily Maverick trouxe uma reportagem sobre mais uma busca e apreensão da Operação Lesa Pátria da Polícia Federal contra os golpistas de 8 de Janeiro. Não foram divulgados os nomes dos alvos, mas eles são investigados por crimes de “abolição violenta do estado de direito, golpe de estado, dano qualificado, associação criminosa, incitação, destruição e dano a propriedade especialmente protegida”, segundo a PF. Nessa leva, a polícia se debruça sobre os suspeitos de fomentar um “movimento violento” conhecido como “Festa da Selma”, codinome usado pelos manifestantes para se referir às invasões. Oito suspeitos foram presos.

EXTREMA-DIREITA NA ARGENTINA

A mais nova versão de Trump no continente, o presidenciável argentino Javier Milei, promete “gerar um verdadeiro terremoto nas relações internacionais do país, caso assuma a presidência em dezembro”, afirma o jornal La Nación, que traz as declarações do argentino à agência Bloomberg. Milei afirmou que não faria “pactos com comunistas”, e que romperia relações com os governos da China e do Brasil, dois dos principais parceiros comerciais do país. “Acredito que o Mercosul deve ser eliminado, uma união aduaneira defeituosa, que prejudica os bons argentinos, é um comércio administrado por Estados para favorecer Estados prebendários”, afirmou.

60% DE APROVAÇÃO

“Otimismo econômico cresce no Brasil e Lula vive o momento mais doce de seu mandato”, afirma o mesmo La Nación, ao divulgar o resultado da pesquisa Genial/Queest que revela a aprovação de 60% do governo Lula ante os 35% que o desaprovam. O resultado atual significa que, desde a votação anterior, há dois meses, Lula ganhou quatro pontos de apoio por sua atuação na presidência e essa rejeição caiu cinco pontos, diz o jornal. No também argentino Página 12, Emir Sader detalha a pesquisa, apontando que “o apoio a Lula continua praticamente o mesmo entre os que votaram nele e avança entre os que votaram em Bolsonaro. A maior preocupação dos brasileiros continua sendo a violência no cotidiano e a ordem pública, com motivos. Mas o país voltou a viver um clima de otimismo”.

Veja Também:  Lula planeja cúpula internacional para definir estratégia contra o crescimento da extrema-direita

REFORMA AGRÁRIA

Nesta quarta-feira, durante o encerramento da 7ª Marcha das Margaridas, o presidente Lula anunciou a retomada do Programa Nacional de Reforma Agrária, que priorizará as mulheres rurais no processo de seleção das famílias beneficiadas pela política pública. O novo decreto presidencial altera a legislação anterior e a pontuação para as mulheres chefes de família passará, com as novas regras, de cinco para dez pontos, destalha o portal África digital. “Isso aqui coroa todo o processo de formação de mobilização que fizemos na base. Foram muitos momentos. A nossa pauta foi construída coletivamente, com a comissão [da marcha] e com várias organizações parceiras”, ressaltou a coordenadora da 7ª Marcha, Mazé Morais. Cerca de 100 mil mulheres compareceram aos dois dias da marcha, na capital federal.

MEIO AMBIENTE

O Brasil está buscando criar um mercado de carbono regulamentado com limites de emissões para grandes empresas e proteções para comunidades indígenas envolvidas em atividades de compensação de carbono, afirmou à Reuters, Rafael Dubeux, que coordena as ações do plano de “transformação ecológica” do Ministério da Fazenda. A legislação será apresentada ao Congresso neste mês, e estruturará o novo mercado de carbono em torno de um limite para as empresas que emitem mais de 25.000 toneladas de dióxido de carbono equivalente anualmente. Confira a entrevista.

HELLO

O presidente Lula conversou com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, sobre possíveis esforços entre os dois países para combater as mudanças climáticas. Segundo a Reuters, eles estão discutindo uma iniciativa conjunta para a geração de empregos. Em comunicado, a Casa Branca informou que os dois líderes conversaram sobre o compromisso de Biden de solicitar US$ 500 milhões ao Congresso dos EUA, em cinco anos, para apoiar o Fundo Amazônia administrado pelo Brasil e destinado a aumentar a proteção ambiental.

LULA E MUJICA EM CUBA

A Agência Uruguaia de Notícias UY.Press aponta que o ex-presidente Pepe Mujica e o presidente Lula planejam visitar Cuba para se reunir com autoridades governamentais e representantes da sociedade civil. A ideia é pensar como promover uma maior abertura, com apoio local e internacional. As informações já circulam nas esferas diplomáticas e são vistas com “bons olhos” por representantes de diversos governos, segundo diversas fontes políticas, diz a reportagem. Nesta quarta-feira, reporta Prensa Latina, o ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, encontrou com o chefe da Assessoria Especial do Presidente do Brasil, Celso Amorim, que viajou à Ilha, atendendo a um pedido expresso do presidente Lula.

CÚPULA DOS BRICS E LULA NA ÁFRICA

Entre 22 e 24 de agosto, a África do Sul receberá o presidente chinês Xi Jinping, o brasileiro Lula da Silva e o primeiro-ministro indiano Narendra Modi para a cúpula do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), em Joanesburgo. O encontro é tema de extensa reportagem no jornal sul-africano Daily Maverick. O jornal traz também uma entrevista com o ministro de relações exteriores da Índia, Subrahmanyam Jaishankar, sobre a expansão do bloco. A Índia e o Brasil vem se preocupando, aponta a reportagem, com expansão do bloco e a diluição de suas influências sobre as decisões. Ao todo, 22 países já oficializaram o interesse em entrar no bloco.

Após a cúpula dos BRICS, no dia 25 de agosto, Lula discursará na Assembleia Nacional de Angola. No dia 27, ele participa em São Tomé e Príncipe da XIV Conferência de chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), informa o angolano O Guardião que publica a agenda do presidente brasileiro no continente africano.

Leave comment