Arrecadação recorde com taxação de super-ricos e deliberações do G20 no RJ: os destaques da mídia internacional

Arrecadação recorde com taxação de super-ricos e deliberações do G20 no RJ: os destaques da mídia internacional

IMPOSTO A SUPER-RICOS: ARRECADAMENTO RECORDE

A Receita Federal informou que o imposto sobre fundos de investimentos dos super-ricos implementado pelo governo Lula impulsionou a arrecadação tributária em janeiro para o melhor desempenho da história. O aumento é considerado fundamental para atingir a meta de déficit zero em 2024 almejada pelo ministro da Fazenda Fernando Haddad.

A arrecadação atingiu quase 281 bilhões de reais em janeiro, representando um aumento de 6,67% em relação ao mesmo período de 2023, marcando o melhor resultado registrado em termos reais para todos os meses na série histórica iniciada em 1995 (Página/12).

G20: PALESTINA E ISRAEL

A solução de dois Estados “como a única possível” para o conflito entre israelenses e palestinos foi defendida de forma ampla pelos países do G20, em um encontro de ministros das Relações Exteriores do grupo, este ano sob a presidência do Brasil, no Rio de Janeiro, no qual a guerra na Faixa de Gaza se tornou o assunto principal. O apoio à solução de dois Estados foi praticamente unânime, segundo o chanceler brasileiro Mauro Vieira.

“Pedi ao ministro brasileiro que em suas conclusões abordasse o tema e explicasse ao mundo que no G20 todos estavam a favor dessa solução”, disse Josep Borrell, chefe da diplomacia do bloco europeu. O secretário de Estado dos EUA Antony Blinken se pronunciou de forma semelhante. “Todos queremos que este conflito termine o mais rápido possível, mas devemos garantir que não deixe condições que apenas repetirão o ciclo de violência”, afirmou.

Segundo o Washington Post, EUA e vários países árabes trabalham em um plano de paz com um cronograma para que seja criado um Estado palestino, assim que a guerra entre Israel e o Hamas chegue ao fim (El Observador).

G20: ALIANÇA CONTRA A FOME

Ainda durante a reunião do G20 no Rio de Janeiro, o Brasil reiterou a necessidade de uma aliança global contra a fome e a pobreza. Proposta por Lula ao assumir a presidente do bloco em dezembro de 2023, a iniciativa foi agora endossada pelo ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome do Brasil Wellington Dias, e sugere o financiamento por países ricos e grandes empresários.

O objetivo é mobilizar recursos e conhecimentos para onde eles são mais necessários, buscando implementar ações em nível nacional. De acordo com estimativas, são necessários 78 bilhões de dólares a cada ano para reduzir a pobreza global até 2030. Entre as prioridades estão alimentação saudável, apoio a pequenos produtores e inovação tecnológica. Eventos como a pandemia do coronavírus, as mudanças climáticas e os conflitos geopolíticos provocaram o aumento da fome, da insegurança alimentar e da pobreza (La Jornada).

Veja Também:  A esquerda e a democracia

LULA VAI À RÚSSIA EM OUTUBRO

Em comunicado oficial, o Itamary informou que o presidente Lula aceitou o convite feito pelo ministro de Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov, para participar da Cúpula dos Brics, em outubro, na Rússia.

O texto também trata do agradecimento de Lula à Rússia, por seu apoio ao pedido do Brasil para ocupar um lugar permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas.

O presidente Lula, continua a nota, reafirmou a importância de uma nova governança global para lidar com temas urgentes, como a inteligência artificial e as mudanças climáticas, “que não podem ser enfrentadas isoladamente” (Correio da Manhã).

CALOU-SE O FALASTRÃO

Jair Bolsonaro e 22 ex-funcionários de seu governo compareceram na quinta-feira (22) à Polícia Federal para prestar declarações sobre um suposto planejamento de golpe de Estado para impedir a posse de Lula. O ex-presidente optou por permanecer em silêncio, e seus advogados declararam que não tiveram acesso a documentos obtidos durante a investigação, incluindo as declarações de seu ex-ajudante de ordens Mauro Cid, que colaborou com as autoridades em um acordo de delação premiada.

Bolsonaro afirma ser vítima de uma “perseguição implacável” e alega inocência. A audiência aconteceu apenas três dias antes de uma manifestação em São Paulo, convocada por ele, na qual pretende reunir um grande número de apoiadores e repudiar as acusações (Nodal).

BLINKEN NA ARGENTINA

O presidente argentino Javier Milei se reuniu nesta sexta-feira (23) com o secretário de Estado dos EUA Antony Blinken, que chegou a Buenos Aires na noite desta quinta (22), depois de uma passagem pelo Brasil.

“A Argentina decidiu voltar para o lado do Ocidente, para o lado do progresso, para o lado da democracia e, sobretudo, para o lado da liberdade (sic)”, proferiu Milei ao ser questionado sobre a sua mensagem para os EUA. Ele obteve forte apoio do enviado estadunidense para o seu plano de ajuste fiscal e até uma declaração pública sobre a sua bandeira de campanha: “A dolarização depende da Argentina”, disse Blinken em declarações à imprensa.

Nesta sexta à noite Milei embarcará com destino aos Estados Unidos, onde vai discursar em um congresso econômico liberal, que contará com a presença do ex-presidente do país, Donald Trump (Ámbito, El Mercurio e AlDiarioAR).

*Imagem em destaque: Marcelo Casado/Agência Brasil

Tagged: , , , , , , , ,

Leave comment