Imagem 1

Lula chega a Bogotá para se reunir com Petro e participar de fórum empresarial e feira do livro

Lula chega a Bogotá para se reunir com Petro e participar de fórum empresarial e feira do livro

O presidente Lula foi recebido nesta quarta-feira no Palácio de Nariño, sede da Presidência da Colômbia, onde se reunirá com o presidente colombiano Gustavo Petro. O presidente brasileiro iniciou hoje uma visita oficial à capital, acompanhado de uma delegação do governo e de pelo menos 50 empresários interessados em negociar com o país colombiano. Petro e Lula discutirão questões de interesse comum, incluindo comércio, investimentos e a proteção da Amazônia, entre outros assuntos da agenda bilateral. Vários acordos sobre a promoção do turismo também serão assinados, conforme relatado anteriormente. Durante o dia, Lula também participará da inauguração da Feira Internacional do Livro de Bogotá, Filbo 2024, dedicada ao Brasil como convidado de honra, informa a agência cubana Prensa Latina.  As eleições na Venezuela, a questão México/Equador e a guerra de Israel na Faixa de Gaza devem estar entre as conversas dos dois presidentes.

O site latino Nodal reproduz reportagem do colombiano El Espectador e procura antecipar os temas das conversas de Lula e Petro. Espera-se que a reunião com Petro trate de “agendas bilaterais de comércio e investimento, desenvolvimento sustentável e cooperação amazônica, programas sociais, direitos humanos e agricultura familiar”. As delegações também discutirão “a implementação da Declaração de Belém do Pará de 2023, regulamentação farmacêutica, corredores bioceânicos, turismo, reconhecimento de diplomas universitários e interconexão elétrica”. “São dois países que contam com um importante contingente de afrodescendentes e indígenas, e têm como prioridade, atribuída por seus governos, o fortalecimento desses setores na sociedade”, disse João Marcelo Galvão de Queiroz, diretor do Departamento da América do Sul do Ministério das Relações Exteriores do Brasil. A chegada de Lula à Colômbia ocorre em um momento em que as relações entre o presidente colombiano e outros países estão se tornando cada vez mais tensas. Entre eles, Daniel Noboa, presidente do Equador, a quem ele acusou de permitir a “barbárie” e questionou por ter invadido a embaixada mexicana em Quito para capturar Jorge Glas, ex-vice-presidente equatoriano que está sendo investigado por corrupção. Outra das mais recentes foi com Javier Milei, da Argentina, que o chamou de “terrorista” e fez com que Petro convocasse Camilo Romero, embaixador da Colômbia na Argentina, para consultas. Dias depois, as relações foram restabelecidas.

A Agência France Press divulgou vídeo do encontro do presidente Lula com o presidente da Colômbia Gustavo Petro nesta quarta-feira.

LULA / MILEI

O argentino La Nación informa que em uma “surpreendente mudança de estratégia”, o presidente Javier Milei solicitou, por meio da ministra das Relações Exteriores, Diana Mondino, uma reunião com seu colega brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva. O fato foi confirmado ao jornal La Nación por pessoas próximas ao presidente, que consideram que a reunião deve ocorrer nas próximas semanas.

O Ámbito informa que o governo oficializou a nomeação do novo embaixador argentino no Brasil. Daniel Raimondi foi escolhido para assumir o posto diplomático em Brasília. A nomeação foi formalizada por meio do Decreto 324/2024, publicado nesta quarta-feira no Diário Oficial da União.

IMPOSTO / SUPER-RICOS

A proposta do Brasil de tributar os super-ricos ganhou impulso nesta quarta-feira, com o ministro das finanças da França e o chefe do Fundo Monetário Internacional apoiando um esforço coordenado para gerar novas receitas e construir um futuro comum melhor. O ministro da Fazenda do Brasil, Fernando Haddad, disse que o Brasil, atual presidente do G20, tem como objetivo construir um consenso internacional sobre a tributação da riqueza este ano, e que pressionaria por uma declaração conjunta em uma reunião dos ministros das finanças e banqueiros centrais do G20 em julho, informa a Reuters. “A declaração do G20 que vamos propor tem o objetivo de apoiar politicamente essas iniciativas”, disse ele em um evento durante as reuniões de primavera do FMI e do Banco Mundial, ressaltando a importância de obter o apoio das maiores economias.

ECONOMIA EM ALTA

A atividade econômica no Brasil cresceu pelo quarto mês consecutivo em fevereiro, mostrou um índice do banco central nesta quarta-feira. O índice de atividade econômica do IBC-Br, considerado um indicador importante do produto interno bruto, aumentou 0,4%, ajustado sazonalmente, correspondendo às expectativas dos analistas consultados pela Reuters, e após um aumento revisado de 0,52% em janeiro. Dados oficiais recentes revelaram um crescimento inesperado no setor de varejo em fevereiro, enquanto o setor de serviços e a produção industrial caíram surpreendentemente no Brasil. Enquanto isso, a maior economia da América Latina criou um número líquido de 306.111 empregos formais em fevereiro, superando as estimativas, informa a Reuters.

ORÇAMENTO

Representante da mídia do mercado financeiro internacional, o britânico Financial Times traz reportagem crítica sobre as metas fiscais divulgadas esta semana pelo governo brasileiro com o título “Brasil busca enfraquecer metas fiscais estabelecidas há apenas um ano”. Diz o texto que o governo Lula está tentando afrouxar suas próprias metas orçamentárias à medida que aumentam as preocupações dos investidores sobre o risco de derrapagem fiscal na maior economia da América Latina. A administração de esquerda apresentou propostas que diluiriam seu objetivo anterior de alcançar um superávit primário no próximo ano e em 2026. Elas precisariam da aprovação do Congresso para prosseguir. Os compromissos originais foram estabelecidos há pouco mais de um ano e sustentavam as alegações de Brasília de equilibrar a gestão responsável das contas públicas com o aumento dos gastos do Estado. Mas agora os ministros pretendem simplesmente equilibrar o orçamento no próximo ano, substituindo a meta anterior de que a receita exceda as despesas em 0,5% do produto interno bruto. A previsão para 2026 de um superávit primário – que exclui os pagamentos de juros – também deve ser reduzida de 1% para 0,25% do PIB. Isso atrasará a estabilização dos níveis da dívida pública, de acordo com as previsões oficiais. Muitos analistas já haviam alertado que as metas atuais de déficit eram irrealistas e provavelmente seriam ajustadas.

Veja Também:  Ações no RS: ministério e repasses de R$ 5 mil para 200 mil famílias

MST / DOSSIÊ

O site Centro Latino-Americano de Análise Estratégica traz um extenso dossiê em que faz uma radiografia do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e analisa suas formas de organização e luta. As obras deste dossiê fazem parte da convocação artística MST 40 anos, organizada pelo Movimento dos Sem Terra, pelo Instituto Tricontinental de Pesquisa Social, pela ALBA Movimientos e pela Assembleia Internacional dos Povos. O MST nasceu com três objetivos: lutar pela terra, ou seja, para que as famílias organizadas no Movimento ganhem terra suficiente para sobreviver com seu próprio trabalho e com dignidade; lutar pela reforma agrária popular, o que significa reestruturar a propriedade e o uso da terra; e lutar pela transformação da sociedade. Para atingir esses objetivos, o MST se organizou e se definiu desde o início como “um movimento de massa, com caráter sindical, popular e político”.

O site latino Kaos em La rede traz entrevista com líder do MST Gilmar Mauro que diz: “Fazer Reforma Agrária é cuidar do planeta”. Ele fala sobre a importância da ocupação, a função social da terra e a Reforma Agrária.

EDUCAÇÃO ESTAGNADA

A educação no Brasil está passando por um período de estagnação, sem que as novas autoridades assumam responsavelmente a responsabilidade de reverter a situação herdada dos dois governos anteriores de Michel Temer e Jair Bolsonaro. Como nos alerta Darcy Ribeiro, parece que historicamente a função da educação no Brasil tem sido aprofundar as diferenças entre uma elite culta, letrada e até erudita e uma grande massa de analfabetos destinada a cumprir o papel de mão de obra barata e dócil. A análise é de Fernando de la Cuadra, PhD em Ciências Sociais. Editor do Blog Socialismo y Democracia. Colaborador do Centro Latino-Americano de Análise Estratégica (CLAE), que publicou seu artigo.

PETROBRAS

Um tribunal brasileiro anulou uma decisão anterior de um tribunal de primeira instância que havia suspendido a Petrobras (PETR4.SA), e recolocou Pietro Sampaio Mendes no conselho da estatal.  Mendes havia sido suspenso por um juiz de São Paulo na semana passada por causa de um conflito de interesses em relação ao seu papel no Ministério da Energia. Tanto a Petrobras quanto o governo brasileiro recorreram da decisão inicial.

MORTO NO BANCO

O assunto, como era de se esperar, atraiu veículos de comunicação de vários matizes.

Uma mulher levou um homem de 68 anos em uma cadeira de rodas a uma agência bancária e tentou fazê-lo assinar um empréstimo, mas ele já estava morto há horas, informou a polícia brasileira nesta quarta-feira. Erika Vieira Nunes levou o cadáver ao banco em um subúrbio do Rio de Janeiro na terça-feira e disse ao caixa que o homem queria um empréstimo de R$ 17.000,00 ($3.250,00), segundo o vídeo da câmera de segurança. Ela segurou uma caneta e moveu a mão dele para frente, sem resposta, noticiou a Reuters, que distribuiu a notícia a mais de cem países.

O Guardian também noticiou o caso. Choque no Brasil após mulher ser presa e acusada de violação de cadáver e tentativa de roubo mediante fraude. Quando Érika de Souza Vieira levou seu tio de aparência letárgica para um banco brasileiro, os funcionários logo perceberam que algo estava errado. “Acho que ele não está bem. Ele não parece nada bem”, comentou um funcionário desconfiado, enquanto Érika tentava fazer com que seu parente idoso assinasse um empréstimo de 17.000 reais (US$ 3.250). Paulo Roberto Braga estava de fato indisposto. De fato, o senhor de 68 anos parece ter morrido.

O La Nación publicou um vídeo do caso. O português Correio da Manhã também noticiou, assim como o argentino Ámbito, o jornal Última Hora das Ilhas Baleares, da Espanha, o La Nación e o uruguaio El Tiempo.

Na imagem, os presidentes Gustavo Petro e Lula em Bogotá nesta quarta-feira / Ricardo Stuckert

Tagged: , , , , , , ,