Lula diz que PIB crescerá mais de 2% este ano

Lula diz que PIB crescerá mais de 2% este ano

Na abertura do Ano Legislativo de 2024, o presidente Lula afirmou nesta segunda-feira em um documento de 312 páginas destinado ao Congresso, que o país deve crescer mais de 2% este ano, com a inflação convergindo para o ponto médio da faixa almejada. O Banco Central tem como meta uma inflação de 3%, mais ou menos 1,5 ponto percentual. No documento, Lula disse que a previsão do PIB é impulsionada pelas ações de política econômica, que se concentram em acelerar o potencial de crescimento com responsabilidade ambiental, social e fiscal. A queda das taxas de juros deve contribuir para o crescimento do país, enquanto os investimentos no Brasil devem ser impulsionados pela retomada dos financiamentos pelos bancos públicos, em texto publicado pela agência Reuters.

“Luiz Inácio Lula da Silva de macacão”, diz o argentino Página 12 recuperando evento do presidente da sexta-feira. De volta ao coração industrial de São Paulo, onde surgiu como líder sindical no final da década de 1970, o presidente brasileiro anunciou na sexta-feira um pacote de investimentos de oito bilhões de dólares de empresas automobilísticas alemãs, chinesas e americanas. Foi na fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo, em frente a cujos portões, geralmente blindados por soldados hostis, ele discursou há quatro décadas como líder do sindicato dos metalúrgicos de São Paulo antes de fundar o Partido dos Trabalhadores (PT). O texto traz dados econômicos positivos do Brasil. A turnê de Lula em São Paulo foi, na verdade, um lançamento não oficial da campanha para as eleições municipais de 6 de outubro e cita ainda Marta Suplicy e o enfrentamento a Bolsonaro. O texto, que leva o título “Lula dá início à campanha para derrotar Bolsonaro”, foi republicado pelo site Rebelion.

TRANSPARÊNCIA INTERNACIONAL

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, determinou nesta segunda-feira uma investigação sobre atuação da organização não governamental (ONG) Transparência Internacional no Brasil. Em petição, o ministro diz que a investigação deve apurar se a Transparência Internacional se apropriou indevidamente de recursos públicos, noticiou o site Brazilian Report.

A ação contra a Transparência Internacional segue os movimentos para desfazer o legado da ampla investigação de corrupção da Lava Jato, diz o Financial Times. A investigação se segue depois que o órgão de vigilância da corrupção, com sede em Berlim, criticou os esforços vacilantes do país no combate à corrupção e o ressurgimento da sensação de impunidade. Toffoli ordenou uma investigação da Transparência Internacional sobre as acusações de que ela teria se apropriado indevidamente de recursos públicos durante a investigação da Lava Jato. O FT faz um levantamento das últimas decisões de Toffoli sobre a Lava Jato com um viés de crítica ao ministro.

ABIN PARALELA

O Supremo Tribunal Federal determinou que o Congresso Nacional, em um prazo de dez dias, se manifeste sobre o que tem feito para regulamentar o uso de softwares espiões por órgãos públicos. A medida ocorre uma semana depois que a Polícia Federal começou a fazer buscas em endereços ligados a atuais e ex-funcionários da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) acusados de acessar ilegalmente dados de geolocalização de pelo menos 1.800 cidadãos brasileiros. Esse monitoramento ilegal foi realizado por meio do FirstMile, um software de espionagem israelense comprado pelo governo federal em 2018.  Um dos filhos do ex-presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro e um deputado federal que atuou como principal funcionário de inteligência do Brasil foram alvos da Polícia Federal nos últimos dias. Eles supostamente usaram o software israelense para monitorar supostos inimigos da antiga administração – incluindo jornalistas, ativistas e políticos. Os investigadores acreditam que Bolsonaro pode ter criado um serviço de inteligência “paralelo” e ilegal em seu nome, que operava fora dos limites da justiça. Além da agência de inteligência do país, o Exército também adquiriu softwares desse tipo, informa o Brazilian Report no sábado.

MST 40 ANOS

O site Rebelion traz reportagem sobre os 40 anos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Conta que há 40 anos, em 22 de janeiro de 1984, na cidade de Cascavel (PR), pouco menos de 100 pessoas participaram da reunião que daria origem ao maior movimento popular camponês do Brasil e um dos maiores da América Latina. Décadas depois, o MST está organizado em 24 estados, com 185 cooperativas, 1.900 associações, 120 agroindústrias, cerca de 400.000 famílias assentadas e outras 70.000 vivendo em acampamentos. Em uma estimativa simples, de acordo com a média nacional de 2,79 pessoas por domicílio registrada pelo Censo de 2022, pelo menos 1,3 milhão de pessoas são membros e vivem em territórios organizados pelo MST. No âmbito desse 40º aniversário, o MST realizará seu 7º Congresso Nacional em julho, para o qual são esperadas cerca de 15.000 pessoas em Brasília. O site Rebelion tem como objetivo ser um meio de comunicação alternativo que publica notícias que não são consideradas importantes pela mídia convencional.

INTERPOL

A Interpol deveria eleger um novo diretor de um país em desenvolvimento para diversificar a organização e aumentar sua credibilidade à medida que o crime se torna cada vez mais globalizado, disse à Reuters o candidato do Brasil à direção da agência policial internacional, Valdecy Urquiza. Isso ajudaria a Interpol a fortalecer a cooperação global para combater o crime transnacional, disse Urquiza, atualmente Diretor de Cooperação Internacional da Polícia Federal do Brasil. Em seus 100 anos, a Interpol tem sido dirigida por homens das nações desenvolvidas do Ocidente, de apenas cinco países, quatro da Europa e os Estados Unidos. “A organização corre o risco de perder a credibilidade e a legitimidade se ela se isolar. O que precisamos para o sucesso da Interpol é a pluralidade… Precisamos que todos os países se sintam incluídos, que todas as regiões sejam atendidas”, disse Urquiza à Reuters em uma entrevista na sexta-feira.

DENGUE

O argentino Clarín traz o título: “Dias antes do Carnaval, casos de dengue explodem no Brasil: unidade de emergência é criada e Rio de Janeiro sofre epidemia”. A preocupação do jornal é nitidamente com os turistas argentinos que viajam ao Brasil nesta época do ano. Os casos de dengue estão explodindo no Brasil, que registrou 217.481 casos nas primeiras quatro semanas epidemiológicas deste ano, quase cinco vezes mais do que os 44.752 casos registrados no mesmo período do ano passado, sendo o Rio de Janeiro uma das áreas mais afetadas. A taxa de incidência da doença no Rio é agora de 160,68 casos por 100.000 habitantes. Com informações da EFE e ANSA.

Tagged: , , , , ,

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.