Lula no Oriente Médio e Bolívia no Mercosul são destaques na mídia externa 

Lula no Oriente Médio e Bolívia no Mercosul são destaques na mídia externa 

Por Carmen Munari

O jornal argentino Página 12 publicou na terça-feira ampla reportagem sobre a agenda externa do presidente Lula com título favorável: “A intensa agenda pacifista e diplomática de Lula”. Afirma que Lula inicia na terça-feira o que pode ser sua última viagem internacional do ano no Oriente Médio, com paradas na Arábia Saudita e nos Emirados Árabes Unidos, dois países que se juntarão aos BRICS a partir de janeiro, grupo do qual a Argentina sairá, conforme prometido por Javier Milei. No Oriente Médio, deve tratar sobre a guerra de Israel na Faixa de Gaza, que já tratou da guerra da Ucrânia em busca da paz. Já a agenda de reuniões de Jair Bolsonaro com dignitários no exterior em 2023 se resumirá àquelas que ele terá em 10 de dezembro em Buenos Aires, na posse de Milei. (ler aqui)

Esta reportagem foi republicada no site Rebelión. (leia aqui)

A chegada do presidente Lula a Riad, na Arábia Saudita, na terça-feira foi noticiada por vários meios de comunicação latinos. O Obervador (ler aqui) destaca que Lula vai se reunir com os chefes de Estado da Arábia Saudita, Catar e Emirados Árabes Unidos, antes de partir à Alemania. O Telam (ler aqui) informa que Lula está no Oriente Médico em busca de atrair investimentos e estabelecer a posição do seu país relativamente às alterações climáticas. Este texto foi republicado pelo Nodal (ler aqui). O Observador informa ainda que Lula chegou ao Oriente Médio para participar da COP28 e visitar três países

BOLÍVIA INGRESSA NO MERCOSUL

A Bolívia deve se tornar membro pleno do bloco comercial sul-americano Mercosul após a decisão do Senado brasileiro de aprovar a admissão do país na terça-feira. Espera-se que a votação sobre a adesão da Bolívia ao Mercosul seja formalmente concluída durante uma cúpula regional em 7 de dezembro no Rio de Janeiro. O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, que ocupa a presidência temporária da aliança comercial que também inclui Argentina, Paraguai e Uruguai, saudou a expansão na quarta-feira em uma postagem na mídia social X, informa a Reuters (ler aqui). “Obrigado aos senadores por concluírem esse processo e parabéns ao presidente Arce e à Bolívia por se juntarem a nós no Mercosul”, disse Lula nas redes sociais.

O uruguaio Observador lembra que a aprovação pelo Senado brasileiro era o último passo necessário para que a Bolívia se juntasse ao bloco sul-americano do Mercosul, que também inclui Argentina, Paraguai e Uruguai. (ler aqui)

O argentino La Nación cita que reunião de cúpula do Mercosul em 7 de dezembro será a última da qual o governo do presidente Alberto Fernández participará, e para a qual o presidente eleito Javier Milei provavelmente enviará um emissário, três dias antes de assumir o cargo. Com Milei, Luis Lacalle Pou (Uruguai) e Santiago Peña (Paraguai) como um novo eixo conservador dentro do bloco, Luis Arce (da Bolívia) se juntará como um novo aliado de Lula. “O plenário do Senado brasileiro aprovou o projeto de decreto para a adesão plena da Bolívia ao Mercosul. Agradecemos os esforços do irmão presidente @LulaOficial e do povo brasileiro por esse marco histórico na integração latino-americana”, escreveu Arce na rede social X nesta quarta-feira. (ler aqui)

No site Nodal, destaque para a informação de que durante a sessão que aprovou a Bolívia no Mercosul os senadores da oposição brasileira condicionaram seu voto à visita de uma delegação da Comissão de Relações Exteriores à Bolívia para verificar a situação do que eles consideram ser “presos políticos”. (ler aqui)

A cubana Prensa Latina também publicou o ingresso da Bolívia no Mercosul. Assinada em 2015, em Brasília, no governo de Dilma Rousseff (2011-2016), a inserção do país vizinho precisava da aprovação dos parlamentos de todos os países membros para ser concluída e faltava apenas o Brasil. (ler aqui)

A Bolívia terá até quanto anos para adotar as normas do Mercosul y ingressar no livre comércio, diz o site boliviano La Época publicado pelo Nodal. (ler aqui)

O presidente Lula e o primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sanchez, se reunirão na conferência climática COP28 em Dubai para discutir a conclusão das negociações de um acordo comercial há muito aguardado entre a União Europeia e o Mercosul, disseram fontes familiarizadas com o assunto à Reuters na quarta-feira. Espera-se que seja na sexta-feira. O Brasil e a Espanha, que ocupam, respectivamente, a presidência temporária do Mercosul e da União Europeia até o final deste ano, consideram a conclusão do acordo uma prioridade. (ler aqui)

COP28

No Le Monde Diplomatique, artigo da pesquisadora Marília Closs com o título “Frente à possibilidade de a COP28 fracassar, o Brasil pode e deve ajudar a salvá-la”. O Brasil está em uma posição privilegiada em termos de espaço da governança internacional. Em dezembro de 2023, o país assume a presidência do G20, grupo que tem, cada vez mais, um papel importante na construção do desenvolvimento sustentável. (ler aqui)

DINO NO STF

O noticiário Brazilian Report acredita é Flavio Dino é “uma escolha altamente política para o Supremo Tribunal Federal”. O anúncio do ministro da Justiça para a Corte foi feito pelo presidente Lula na segunda-feira. (ler aqui)

MILEI E EMBAIXADOR

O presidente eleito Javier Milei confirmou Gerardo Werthein como embaixador nos Estados Unidos e também anunciou que Daniel Scioli, líder do atual governo de Alberto Fernández, continuará como representante da Argentina no Brasil. Sobre Daniel Scioli e sua continuidade como embaixador no Brasil Milei ironizou: “Há uma predisposição muito boa, ele tem um excelente relacionamento com o Brasil. Ele e muitos outros embaixadores podem permanecer no cargo até que haja uma nomeação definitiva. Não podemos deixar a embaixada brasileira sem ninguém para atender o telefone”, diz o jornal argentino Ámbito. (ler aqui)

Já o site El Diario Ar destaca que, segundo Milei, “a ideia” é que Daniel Scioli “por enquanto continue” como embaixador no Brasil. O presidente Alberto Fernández questionou: “Não entendo como Scioli pode representar meu governo e o governo de Milei”. “Que não me venham com a história de que isso é representar a Argentina, porque isso é falso, são duas Argentinas diferentes. Isso é impossível”, observou o presidente. (ler aqui)

AGROTÓXICOS

O Senado confirmou o voto da Câmara dos Deputados e transformou em lei uma iniciativa que modifica as regras para a aprovação e comercialização de agrotóxicos. O presidente Lula ainda terá de sancionar, informou o Observador. (ler aqui)

Na foto, Lula se reúne com o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman, em Riad / Ricardo Stuckert

Tagged: , , , , ,

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.