Imagem 1

Lula quer Argentina no Brics: ‘É um país que tem que crescer junto’

Lula quer Argentina no Brics: ‘É um país que tem que crescer junto’

O destaque da mídia sobre a reunião dos países do Brics realizada nesta quarta-feira remete à decisão de ampliar o bloco constituído por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. O presidente Lula defendeu a inclusão da Argentina. “O Brasil não pode fazer política de desenvolvimento industrial e esquecer que a Argentina é um país que tem que crescer junto”, disse Lula.

O presidente Lula anunciou que pedirá à Argentina que entre para o grupo do Brics reunido em Joanesburgo, na África do Sul. “Defendo que nossos irmãos da Argentina possam participar do Bricas. Vamos ver na reunião se vai ser agora, daqui a dois meses ou no futuro, mas é importante que a Argentina participe do Brics. O Brasil não pode fazer política de desenvolvimento industrial e esquecer que a Argentina é um país que tem que crescer junto com a gente, que tem poder aquisitivo”, disse Lula durante um programa semanal transmitido pela mídia pública brasileira, informa o Nodal, notícias da América Latina e Caribe.

No Ámbito argentino: O presidente Lula apoiou na terça-feira a ampliação dos Brics e, em particular, a incorporação da Argentina, que ele acredita que poderia ajudar o país a superar sua grave crise econômica.

Os líderes do Brics concordaram com os mecanismos para a entrada de novos membros, informou a África do Sul nesta quarta-feira, abrindo caminho para que dezenas de nações interessadas se juntem ao grupo que se comprometeu a defender o “Sul Global”. O acordo sobre a expansão deve ajudar a conferir influência global ao Brics em um momento em que a polarização geopolítica está estimulando os esforços de Pequim e Moscou para transformá-lo em um contrapeso viável ao Ocidente.  “Chegamos a um acordo sobre a questão da expansão”, disse a ministra das Relações Exteriores da África do Sul, Naledi Pandor, na Ubuntu Radio, uma estação administrada por seu ministério, após uma reunião dos líderes do Brics que acontece em Joanesburgo, segundo a agência Reuters.

A venezuelana Telesur TV acrescentou que o documento com a decisão de permitir mais integrantes no bloco será apresentado na quinta-feira durante o Diálogo Brics Plus, organismo complementar, que une Brics e países do Sul Global.

O português Expresso também noticiou a adesão de mais países ao Brics. Ampliação, seja pela vontade expressa por cerca de 40 países, seja pela vontade da China e da Rússia de aumentarem a sua influência política no mundo respondendo às tensões com os Estados Unidos e com o Ocidente. O grupo representa mais de 42% da população mundial, quase um quarto do produto interno bruto global e 18% do comércio.

O Brasil apresentou, nesta quarta-feira, uma proposta à Argentina com o objetivo de assegurar garantias em yuans chineses para as exportações, segundo o ministro da Fazenda, Fernando Haddad. O Banco do Brasil, de acordo com a proposta, supervisionaria a conversão do yuan em reais, com base nas garantias fornecidas, disse Haddad em uma coletiva de imprensa em Joanesburgo, à margem da cúpula dos países do Brics, informou a Reuters. Terceiro maior parceiro comercial do Brasil, a Argentina está em meio a uma crise econômica marcada pelo aumento da inflação e pela diminuição das reservas do banco central.

*”Devemos permitir que mais países se juntem à família Brics para reunir sabedoria e esforços para tornar a governança global mais justa e equitativa”, disse o presidente da China, Xi Jinping.

*O presidente Lula rejeitou na terça-feira a ideia de que o bloco deveria tentar rivalizar com os Estados Unidos e com o Grupo dos 7 países ricos.

Regra fiscal

O colombiano El Tiempo noticia a aprovação pela Câmara dos Deputados na terça-feira do projeto de lei que acaba com o “teto de gastos” públicos e cria novas regras orçamentárias mais flexíveis, uma vitória para o presidente Lula. O texto, aprovado por 379 votos a favor e 64 contra, pode ajudar o governo de esquerda a cumprir sua promessa de programas sociais ambiciosos e um vasto programa de investimento em infraestrutura. As novas regras permitem maior flexibilidade em termos de gastos, que podem aumentar de acordo com as receitas fiscais.

Veja Também:  Milei comemora sucesso econômico enquanto os argentinos ficam mais pobres

El Mundo, espanhol, também publica a aprovação da nova regra fiscal pela Câmara. Acrescenta que o índice de aprovação de Lula subiu para 60% em agosto (contra 56% em junho), de acordo com uma pesquisa da Quaest, o que reflete uma melhor percepção da economia e das relações do presidente com o Congresso.

Bolsonaro

“Rolex saudita vendido em shopping dos EUA pode levar Bolsonaro à prisão”, publica o argentino Clarín. Bolsonaro é alvo de várias investigações criminais. Uma delas envolve um relógio, presenteado pelos sauditas, vendido em um shopping center na Pensilvânia. Em todo o Brasil, tanto seus detratores quanto seus apoiadores especulam que a próxima mudança poderia ser sua prisão. Bolsonaro está envolvido em uma série de investigações sobre fraude e manipulação eleitoral que já levaram alguns de seus aliados mais próximos à prisão e, nas últimas semanas, parecem estar se aproximando dele.

Bolsonaro foi convocado para depor perante a Polícia Federal em 31 de agosto em uma investigação contra empresários de extrema-direita que discutiram pelo WhatsApp como realizar um golpe de Estado em 2022 antes da vitória eleitoral do presidente Lula. Será a quinta vez que ele depõe desde março em vários casos, desde contrabando de joias, passando pela tentativa de golpe de 8 de janeiro, fraude em certificados de vacinação contra a Covid-19 para viajar aos Estados Unidos e ataques ao sistema eleitoral, informa o Nodal.

O La Nación argentino também noticia a convocação de Bolsonaro pela Polícia Federal para depor no caso de um suposto plano de golpe promovido por um grupo de empresários contra o atual presidente Lula. Nas mensagens, vários dos envolvidos se declararam a favor da promoção de um golpe de Estado, caso Lula vencesse Bolsonaro nas eleições de 2022 e fosse eleito presidente, cenário que acabou acontecendo.

No Expresso, o título resume: “Bolsonaro confirma que pediu a empresário que enviasse notícias falsas sobre eleições. “Qual é o problema?”, questiona.”

Bolsonaro na PF também no Ámbito.

Outra publicação portuguesa, O Guardião, também noticia a convocação de Bolsonaro pela Polícia Federal para depor sobre  golpe contra Lula.

O El Tiempo noticia os exames de rotina por que passa Bolsonaro. Essa nova revisão acompanhará os cuidados recebidos pelo ex-presidente desde que ele foi esfaqueado em 6 de setembro de 2018 durante um comício eleitoral, um ataque que causou várias complicações em seu sistema digestivo desde então. A internação hospitalar coincide com seus problemas com a Justiça brasileira.

Independent noticia que Bolsonaro faz exames de rotina no hospital, no sistema digestivo.

Imagem de Lula em reunião do Brics / Ricardo Stuckert

Tagged: , , , , , ,

Leave comment