Imagem 1

Mídia externa: Fim da guerra na Ucrânia é foco de encontro Lula-Xi Jinping

Mídia externa: Fim da guerra na Ucrânia é foco de encontro Lula-Xi Jinping

Por Carmen Munari

Os vários aspectos da realidade brasileira atraíram a mídia internacional nesta quarta-feira (12/04). A viagem de Lula à China, que teve início nesta quarta, é citada como possibilidade de debate pelo fim da guerra na Ucrânia. Outros temas do dia são a reconstrução da Unasul, a recusa do Brasil em vender armas à Ucrânia, além de questões de economia como o nível da dívida pública. Destaque para o jornal argentino Página 12 que traz artigo de Emir Sader sobre a luta da memória contra o esquecimento.

Lula na China

Le Monde sobre a visita de Lula à China: O presidente brasileiro espera envolver Xi Jinping em um papel de liderança para resolver a guerra na Ucrânia. Por sua vez, o líder chinês espera conseguir que seu interlocutor assine o programa “Nova Rota da Seda” da China. Um dos desafios desta viagem é desenvolver ainda mais estas relações, mas também virar a página da era Bolsonaro e operar uma aproximação política entre Brasil e China, dois países muito críticos em relação a Washington. Lula, que foi presidente do Brasil de 2003 a 2010, já visitou a China em 2004 e 2009”.

A agência Associated Press (AP) também publicou texto sobre a viagem do presidente Lula à China e citou dois objetivos: fortalecer os laços com o maior parceiro comercial de seu país e ganhar apoio para seu impulso pela paz na Ucrânia. “Lula quer que o Brasil, a China e outras nações ajudem a mediar a guerra como parte do retorno de sua nação ao cenário mundial, mas suas propostas para acabar com o conflito têm irritado a Ucrânia e alguns no Ocidente. Menos controverso é o interesse mútuo brasileiro e chinês no comércio, após um período ruim sob o antecessor de Lula.” A China e o Brasil devem assinar pelo menos 20 acordos bilaterais. Os dois líderes devem discutir comércio, investimentos, reindustrialização, transição energética, mudança climática e acordos de paz, disse o governo brasileiro.

A correspondente do CMG (Grupo de Mídia da China) na América Latina, Danna Xu, concedeu entrevista ao UOL sobre a viagem de Lula. “Grande honra receber o presidente Lula na China” disse. Expectativa é de que relação entre Brasil e China entrará em novo rumo político e econômico.

South China Morning Post: As expectativas são altas de ambos os lados à frente da chegada do presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva à China, enquanto Pequim pressiona para expandir sua coalizão de parceiros para enfrentar os EUA e Brasília espera restabelecer os laços tensos sob a anterior administração de extrema-direita. Lula deveria chegar em Xangai na quarta-feira antes de viajar a Pequim para uma reunião com o presidente chinês Xi Jinping na sexta-feira. Os observadores esperam que sua viagem de quatro dias aumente os laços políticos e econômicos bilaterais para um novo patamar, além de testar a capacidade dos dois países de enfrentar desafios globais, como a guerra na Ucrânia.

Com notícias das agências Efe e Ansa, o Clarín também traz texto sobre a visita de Lula à China. Diz que ele pretende “relançar as relações” com o país asiático, seu principal parceiro comercial desde 2009. Traz a agenda de Lula e informa terá encontros com empresários e representantes da montadora de carros elétricos BYD, que comprará uma fábrica que pertenceu à empresa Ford no estado da Bahia.

Lula vai encontrar seu El Dorado na China? questiona o Asia Times. “O presidente brasileiro está buscando o apoio de Pequim para sua busca por proezas de potência média.”

Política

O jornal argentino Página 12 traz artigo de Emir Sader sobre a luta da memória contra o esquecimento. “Hoje no Brasil há uma disputa entre a memória e o esquecimento. A direita está tentando apagar seu passado, tanto o golpe de 1964 como a ditadura militar de 21 anos, assim como o novo golpe, que interrompeu o governo de Dilma Rousseff e fez o país recuar seis anos. Também tenta apagar da memória das pessoas como eram os governos do Partido dos Trabalhadores (PT) liderados por Lula da Silva e Dilma. Como foi o único momento em que o Brasil melhorou substancialmente, reduzindo a pobreza, a miséria, as desigualdades sociais e regionais. Com a continuação da democracia, o país ganhou prestígio internacional como nunca antes.”

Veja Também:  Cresce pressão sobre Lira contra projeto que equipara aborto a homicídio; Lula anuncia investimentos no Rio, Ceará e Piauí

Um dos objetivos da política externa da Argentina e do Brasil é reconstruir a União das Nações Sul-Americanas (Unasul) como um mecanismo integrador de diálogo político, com foco na eliminação da desigualdade sócio-econômica entre os países da América do Sul. O Ministério das Relações Exteriores argentino emitiu um comunicado como resultado de um diálogo no Palácio San Martín da capital, em Buenos Aires, entre a chefe do gabinete do Ministério das Relações Exteriores argentino, Luciana Tito, e a secretária brasileira para América Latina e Caribe, Gisela Padovan, informou o Granma cubano.

A Prensa Latina registra que a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, marcou o primeiro julgamento entre 18 e 24 de abril dos denunciados pelos atos golpistas de 8 de janeiro nesta capital.

https://www.prensa-latina.cu/2023/04/12/tribunal-de-brasil-marca-primer-juicio-de-denunciados-por-golpismo

The New York Times levanta o assunto da entrega de armas para a Ucrânia e diz quea Ucrânia quer comprar armas do Brasil, mas o Brasil, “gigante sul-americano”, tem recusado repetidamente. Ao invés disso, está se oferecendo para intermediar a paz.

Economia

Reuters: Os investidores estrangeiros estão retornando ao mercado da dívida pública brasileira, disse o secretário do Tesouro, Rogério Ceron à Reuters, logo após os ativos financeiros locais se recuperarem desde que o governo propôs novas regras fiscais há duas semanas. Em uma entrevista no final da terça-feira, Ceron disse que o governo espera duplicar a participação estrangeira na dívida pública interna para cerca de 20% até 2026. Ele citou a demanda por quatro vezes na semana passada de uma emissão de US$ 2,25 bilhões de títulos soberanos, a primeira do Brasil desde 2021, como evidência de interesse estrangeiro renovado.

Reuters: O governo brasileiro anunciou nesta terça-feira que vai acabar com a isenção de impostos sobre compras internacionais de até US$ 50 como parte de um esforço para tributar as compras de gigantes globais do varejo. A isenção nunca se aplicou ao comércio eletrônico, mas apenas aos embarques de pessoa física para pessoa física, e tinha sido “ampla e fraudulentamente utilizada para vendas feitas por empresas estrangeiras”. A Receita disse que não haveria mais distinção no tratamento entre pessoas jurídicas e remessas de pessoas físicas, com pedidos internacionais sujeitos à tributação de 60% sobre seu valor.

Escolas

O Ministério da Justiça do Brasil publicou hoje um edital liberando 150 milhões de reais (30 milhões de dólares) para ampliar rondas e criar ações para melhorar a segurança nas escolas, depois que um homem armado com um machado invadiu o jardim de infância Cantinho do Bom Pastor no município de Blumenau, no estado de Santa Catarina, em 5 de abril, matando quatro crianças e ferindo quatro, informou a Prensa Latina.

https://www.prensa-latina.cu/2023/04/12/brasil-libera-millonarios-recursos-para-seguridad-en-escuelas

Washington Post: Os massacres escolares não são mais apenas um problema americano. O Brasil, que sofreu 11 ataques nos últimos oito meses, teme que a carnificina esteja apenas começando.

Nazistas presos

A Prensa Latina repercutiu a notícia de que a Polícia Civil brasileira apreendeu material de apologia nazistas de um adolescente e prendeu sua família na cidade de Maquiné, no litoral norte do Estado do Rio Grande do Sul. Também descobriram outros símbolos e imagens do ditador italiano Benito Mussolini, que liderou o Partido Nacional Fascista e é creditado como uma das figuras-chave na criação do fascismo.

Foto: Lu desembarca em Xangai nesta quarta-feira / Ricardo Stuckert

Tagged: , , , , ,

Leave comment