Programas – de 4 a 11 de agosto

Programas – de 4 a 11 de agosto

Exposição ‘Marielle Marés’, no Museu da República, Catete, Rio de Janeiro, que foi prorrogada pela terceira vez devido à alta procura do público, é um dos destaques desta edição

*Em homenagem ao economista polonês naturalizado francês Ignacy Sachs, falecido esta semana, a sugestão é ler o seu livro de memórias, A terceira margem do rio. Conhecido como ecossocioeconomista pela sua concepção de desenvolvimento como uma combinação de crescimento econômico, aumento igualitário do bem-estar social e preservação ambiental, Sachs foi amigo de Celso Furtado e as cartas trocadas entre os dois quando se encontravam nos respectivos exílios foram publicadas no volume Correspondência intelectual, de CelsoFurtado. A terceira margem do rio, de 2009, tem tradução de Rosa Freire d’Aguiar e, assim como o primeiro, é editado pela Companhia das Letras.

*Programa também imperdível é ler o novo livro do jornalista francês Ignacio Ramonet, A era do conspiracionismo: Trump, o culto da mentira e o assalto ao Capitólio (Ed. Chave Intelectual). Ramonet dirigiu a edição francesa do Le Monde Diplomatique e atualmente é editor da versão espanhola do jornal, em Madri. Ele analisa o fenômeno da pós-verdade, das fake news e da sua exploração pela extrema direita, e observa o papel das redes sociais e da comunicação naguerra da Ucrânia.

*Na entrevista concedida a Pascual Serrano no CTXT, a revista on-line espanhola e abreviatura de Revista Contexto, Ramonet aborda o que chama de era da conspiração. “A internet e as redes sociais que pareciam uma panaceia para a democratização da informação foram colonizadas por boatos e fake news da extrema direita”. A pergunta, segundo ele, é esta: “por que chegamos a isso”?

*O I Festival Nacional de Curtas Flávio Migliaccio, com 168 produções de todo o país, filmes de animação, documentários, filme experimentais e de ficção, entregará o Troféu do Festival, nos dias 26 e 27 de agosto, na Cinemateca do MAM, no Rio de Janeiro. O diretor do Festflávio é o cineasta Francis Ivanovich que destaca a participação no evento de produções de ficção e de quatro filmes que serão exibidos em sessão especial para crianças.

*O Museu Carmen Miranda acaba de reabrir depois de dez anos fechado para obras de revitalização do espaço e do acervo de mais de três mil itens, em especial indumentárias da artista falecida em 1955. O prédio é histórico, projeto do arquiteto Affonso Reidy, na Av. Rui Barbosa, no Flamengo, Rio de Janeiro.

*A ONG Gastromotiva celebra sete anos do Refettorio Gastromotiva com o lançamento do curta Food, Funk e Favela, de Cacau Rhoden onde é relatada a história do projeto Cozinhas Solidárias Gastromotivas. A ideia do filme é mostrar como a comida pode ser importante no movimento de solidariedade que luta contra a fome e o desperdício de alimentos. No doc é traçado um paralelo entre “três elementos fundamentais para a construção de um novo futuro: comida, cultura e um olhar para pessoas que vivem nas periferias, muitas vezes desassistidas pelo poder público”, registra a Gastromotiva.

*Food, Funk e Favela será exibido ao público pela primeira vez no evento Refettorio Gastromotiva, no Rio, no próximo dia 9.

*De olho neste filme de um brilhante diretor, o israelense Amos Gitaï: Uma Noite em Haifa, entrado em cartaz nos cinemas dia 10. Participou da seleção oficial do Festival de Cinema de Veneza, em 2020, e aborda a pluralidade cultural em Haifa, a bonita e progressiva cidade israelense, acompanhando as histórias de cinco mulheres em agitada e aventurosa noite. Trailer aqui.

*Um bom programa com uma formação musical atraente em Porto Alegre: Angelo Primon em Trio, com violas, bateria e contrabaixo em companhia de Luke Faro e Bruno Vargas, dia 9 de agosto, no auditório da ADufrgs-Sindical, Rua Barão do Amazonas, sede do Sindicato Intermunicipal dos Professores de Instituições Federais de Ensino Superior do Rio Grande do Sul. Ás 19h30.

*Pouco antes do show de música, a Feira Solidária e Sustentável é uma atração a mais nesse evento organizado pela Adufrgs-Sindical, com venda de produtos naturais, orgânicos e agroecológicos, alimentos, vestuário e arte popular.

*Volta a ser leitura indicada para esses tempos de abjeta violência nas ruas das cidades, o livro do jornalista Luis Pimentel, Alguém vai ter que pagar por isso, de 2020, uma crítica aguda de todas as formas de violência urbana. Editora Faria e Silva.

Veja Também:  Tudo se encaixa: Os movimentos recentes da extrema-direita brasileira com os EUA

*A mostra Marielle Marés foi prorrogada até 31 deste mês, no Museu da República, Catete, Rio de Janeiro. Aberta às sextas, das 10 às 17h, e sábados, domingos e feriados, das 11 às 17h. Esta é a terceira prorrogação da exposição motivada pela alta procura do público.

*Outro excelente programa carioca, a exposição Heitor dos Prazeres é meu Nome, no Centro Cultural Banco do Brasil do RJ, até 19 de setembro. São mais de 200 trabalhos do artista, pinturas, canções, partituras, projetos, desenhos, discos e indumentárias que marcam a trajetória do importante sambista, compositor e instrumentista e refletem a realidade pós-escravagista da população negra.

*No próximo domingo, dia 6, na Praia Vermelha, às 10h, festa de 50 anos do tombamento dos morros da Urca, Babilônia, Pão de Açúcar, Corcovado, Dois Irmãos e Pedra da Gávea. A trilha musical é da Orquestra Rio Camerata e, em seguida, todos vão dar um abraço apertado no Pão de Açúcar.

*Mais um programão carioca na cidade que entra agosto em acelerado ritmo de festejos, arte e música. Todos os sábados, na praça da Rua General Glicério, em Laranjeiras, feirinha e roda de choro a partir de meio dia. O grupo Choro na Feira se instala entre as barracas de flores, frutas, artesanato, comes e bebes e reúne o público em busca de música e boa comida. Festa com a cara do Rio, descontraída e ao ar livre, onde há também degustação de ostras frescas vindas de Santa Catarina. Lembrando que Laranjeiras é conhecido entre os cariocas como o bairro ‘vermelho’ da cidade.

*O maior evento de turismo do país espera receber entre 36 e 40 mil visitantes, dias 27, 28 e 29 de setembro, no Riocentro, o centro de convenções da Barra da Tijuca. É a 50ª edição da Abav Expo, organizada pela Associação Brasileira das Agências de Viagens.

*O Centro de Tradições Nordestinas apresenta em São Paulo o espetáculo musical Ritmos da Amazônia, na sua sede, na Ponte Julio de Mesquita Neto, bairro do Limão, para divulgar a cultura da região norte do Brasil. Artistas que arrastam multidões no norte e no nordeste do país e lotam estádios de futebol no Pará e Amazonas vão participar da grande festa, dias 5, 19 e 26 de agosto, sempre aos sábados, das 22hs às duas da manhã.

*De 4 a 9 de setembro acontece o Cine PE – Festival do Audiovisual, no cinema do Teatro do Parque, em Recife. Dos 752 filmes inscritos para as mostras competitivas – superando a edição de 2022, com 731 candidatos – foram selecionados seis títulos, entre ficção e documentários, sete curtas-metragens pernambucanos e 13 são produções de curtas nacionais.

*O documentário ítalo-brasileiro O Posto Avançado, dirigido por Edoardo Morabito L’Avamposto, foi selecionado para a 20ª edição do Giornate degli Autori, no próximo Festival de Veneza, este mês. Produzido por Fernando Meirelles, Nathalia Scarton, Giulia Achilli e Marco Alessi, retrata a região do rio Jauaperi, 800 quilômetros ao norte de Manaus, no lago Xixuaù. Graças à dificuldade de ser alcançada, a área permanece intacta e faz parte dos 30% restantes de mata ainda virgem na Amazônia.

*De olho neste aguardado programa cinematográfico: dia 14 de setembro, nos cinemas, estréia o aclamado filme Estranha Forma de Vida, recente média-metragem de Pedro Almodóvar. É a história de dois pistoleiros que se reencontram 25 anos após o caso de amor vivido por eles no passado. O ator Ethan Hawke faz um dos rapazes. Em 20 de outubro a estreia é na plataforma Mubi.

*No Dia Nacional do Documentário Brasileiro, 7 de agosto próximo, a plataforma DGO presta homenagem ao cineasta baiano Olney Alberto São Paulo, autor de O profeta de Feira de Santana, de 1970, e de Ciganos do Nordeste. Olney foi preso e torturado no período da ditadura civil-militar por ser o diretor de Manhã Cinzenta, de 1976, filme sobre o primeiro sequestro de um avião brasileiro por membros da organização MR-8. Cabra Marcado para Morrer e Ilha das Flores estão disponíveis nesse streaming.

(L.M.A.R.)

*As informações acima são fornecidas por editoras, produtoras e exibidoras.

**Imagem em destaque: (Reprodução/Mulheres de Luta)

Tagged: , , , , , , ,

Leave comment