Imagem 1

Em cerimônia com Lula, comandante do Exército defende a democracia

Em cerimônia com Lula, comandante do Exército defende a democracia

COMPROMISSO COM A DEMOCRACIA

O general Tomás Paiva, comandante do Exército brasileiro, reiterou nesta sexta-feira (19) o “eterno compromisso” das Forças Armadas com a defesa da democracia durante uma celebração do Dia do Exército, em Brasília, ao lado do Presidente Lula.

“No dia de hoje, ao completar 376 anos de glórias, a Força Terrestre reafirma o eterno compromisso com a nação brasileira, em defesa da pátria e dos mais caros ideais democráticos, mesmo com sacrifício da própria vida”, disse o comandante.

A cerimônia foi realizada no Quartel-General, onde milhares de apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro se instalaram após as eleições de 2022, clamando por um golpe de Estado em oposição à vitória eleitoral de Lula. O movimento culminou na invasão das sedes dos Três Poderes, em 8 de janeiro de 2023.

Desde que assumiu o comando do Exército no ano passado, Tomás Paiva alterou o discurso que era adotado durante o governo Bolsonaro, que incentivava a interferência militar na política.

Nos últimos meses, autoridades têm intensificado as investigações e punições relacionadas aos atos golpistas de 8 de janeiro. Até agora, 1.232 pessoas foram detidas e acusadas, e 116 já receberam sentenças de até 17 anos de prisão. Além disso, a Polícia Federal continua investigando a possível participação de Bolsonaro na instigação desses eventos, bem como o envolvimento de financiadores, funcionários públicos – incluindo militares – e outras autoridades suspeitas de negligência ou apoio (O Guardião, Prensa Latina).

10 TERRITÓRIOS DEMARCADOS

O presidente Lula oficializou hoje a demarcação de dois territórios indígenas no Brasil: Aldeia Velha, na Bahia, com 20 quilômetros quadrados, e Cacique Fontoura, no Mato Grosso, com 320 quilômetros quadrados. Essas terras, pertencentes aos povos Pataxó e Iny Karajá, foram reconhecidas após um processo que se estendeu por mais de duas décadas.

As novas terras serão somadas às oito reservas aprovadas em 2023, primeiro ano do terceiro mandato de Lula, que lamentou o atraso na homologação de outras quatro terras devido à ocupação por produtores agrícolas, ressaltando a importância de encontrar soluções negociadas para esses casos.

“Eu sei que vocês estão com certa apreensão, porque vocês estavam esperando seis terras indígenas. E nós decidimos assinar duas. Eu sei que isso frustrou alguns companheiros. Eu fiz isso para não mentir a vocês. É melhor a gente resolver o problema ao invés de assinar”, disse Lula, ao lado da ministra dos Povos Indígenas, Sonia Guajajara.

Ao defender a expansão das reservas indígenas, Lula considerou que sua extensão ainda é insuficiente tendo em conta que os povos originários possuíam “100% das terras antes da chegada dos portugueses”.

Dados oficiais apontam que os indígenas ocupam cerca de 13,7% do território brasileiro, distribuídos em 610 reservas, sendo que aproximadamente 120 delas ainda aguardam demarcação, conforme estabelece a Constituição (Correio da Manhã, O Guardião, Independent).

GLAS PEDE AJUDA INTERNACIONAL

O ex-vice-presidente equatoriano Jorge Glas enviou uma carta ao seu colega mexicano Andrés Manuel Lópes Obrador (AMLO), clamando por ajuda, depois de ser detido na Embaixada do México em Quito, no último dia 5 de abril. “Senhor presidente, sou Jorge Glas, obrigado pelo asilo. Peço desculpas como equatoriano. Estou na pior prisão do Equador e em greve de fome. Me ajude. Aqui há uma perseguição brutal contra todos os progressistas. Apenas ajuda internacional pode fazer algo”, diz o documento, com data de 15 de abril.

Condenado por corrupção e procurado pela justiça em outro caso pelo mesmo crime, Glas foi detido pelas forças de segurança equatorianas em uma invasão violenta na sede diplomática do México, sendo depois transferido para uma prisão de segurança máxima em Guayaquil, no Equador. “Fui retirado da embaixada com torturas. Há uma perseguição contra os progressistas e RC [o ex-presidente Rafael Correa]. Apenas a ajuda internacional pode fazer algo. Estou na pior prisão e em greve de fome”, escreve.

Veja Também:  RS: Nível do Guaíba começa a baixar; Leite anuncia construção de "cidades temporárias"

Glas também apelou ao presidente Lula, buscando apoio para um pedido conjunto de vários países para sua libertação. Ele alega estar sofrendo perseguição na prisão de La Roca e afirma que “apenas a pressão internacional” pode ajudá-lo (Sin Embargo).

AMLO comentou em coletiva de imprensa que durante a reunião da última terça-feira entre ministros da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), convocada de forma extraordinária pela presidente de Honduras, Xiomara Castro, o tema de Glas foi “amplamente” discutido.

López Obrador reiterou que o México permanece firme na decisão de levar sua demanda à Corte Internacional de Justiça (CIJ) sobre o ocorrido no Equador, e destacou a importância de resolver esse assunto devido à violação da soberania e do direito internacional. Além disso, enfatizou que mesmo que a situação de Glas seja resolvida, a denúncia do México na CIJ não será interrompida, pois são questões distintas, e que o objetivo é buscar punição para as autoridades equatorianas por suas ações (Página/12).

COLÔMBIA NO BRICS

A Colômbia pretende se tornar membro do BRICS “o mais rápido possível” e para isso contará com a ajuda do Brasil, apoiando a sua candidatura.

“O Presidente Petro expressou o interesse da Colômbia em se juntar ao BRICS como membro efetivo o mais rápido possível, e o Presidente Lula acolheu esta iniciativa e prometeu promover a candidatura da Colômbia”, diz a declaração de Luiz Inácio Lula da Silva e Gustavo Petro, após uma reunião em Bogotá na última terça-feira (16).

Originalmente composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, o bloco está em um período de grande expansão. Quatro novos países – Etiópia, Irã, Egito e Emirados Árabes Unidos – se juntaram ao grupo no início deste ano.

Além da Colômbia, várias outras nações manifestaram interesse em se juntar ao grupo de economias não ocidentais, com algumas já formalizando suas candidaturas, como Venezuela, Tailândia, Senegal, Cuba, Cazaquistão, Bielorrússia, Bahrein e Paquistão (RT News).

HONDA INVESTE 4,2 BI

A montadora japonesa Honda anunciou um investimento de 4,2 bilhões de reais até 2030 em sua planta em Itirapina, interior de São Paulo, com foco no desenvolvimento de um veículo híbrido-flex. A medida reflete uma tendência de investimentos expressivos por montadoras no país, somando cerca de 130 bilhões de reais.

A empresa planeja explorar novas tecnologias e aumentar a produção para até 150 mil veículos por ano até 2030. Esses veículos atenderão tanto ao mercado interno quanto às exportações, fortalecendo a posição da Honda no mercado automotivo brasileiro e internacional (Reuters).

NETANYAHU SUPERA HITLER

Na quarta-feira (17), o presidente da Turquia afirmou que Israel superou Adolf Hitler ao matar mais de 14 mil crianças inocentes em Gaza. Recep Tayyip Erdogan denunciou os massacres conduzidos por Israel como marcas de vergonha na história da humanidade, destacando o apoio incondicional do Ocidente tanto em Gaza quanto na Cisjordânia (Sputnik).

*Imagem em destaque: Brasília (DF), 19/04/2024 – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o comandante do Exército, general Tomás Ribeiro Paiva, e o ministro da Defesa, José Múcio Monteiro, durante celebração do Dia do Exército, em solenidade no Quartel-general do Exército, em Brasília. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Tagged: , , , , , , , , , , , , , , , ,