Pesquisa: Aprovação de Lula cresce e vai a 60% com economia em alta

Pesquisa: Aprovação de Lula cresce e vai a 60% com economia em alta

A aprovação do governo do presidente Lula aumentou em agosto devido à percepção dos eleitores de que a economia do Brasil está melhorando e de que ele está fazendo um bom trabalho no governo, mostrou uma nova pesquisa Genial/Quaest nesta quarta-feira. A aprovação positiva do governo subiu de 37% em junho para 42% dos entrevistados, enquanto as opiniões negativas caíram 3 pontos para 27%, segundo a pesquisa. A aprovação do desempenho de Lula como presidente subiu de 56% para 60% e está no seu nível mais alto desde a pesquisa de fevereiro, a primeira realizada um mês após a sua posse.

Depois de cair em abril para 23%, o número de brasileiros que agora vê a economia melhorando aumentou para 34%, e o principal motivo foi a queda nos preços dos alimentos, segundo a pesquisa. As opiniões negativas sobre a economia diminuíram novamente depois de começarem a cair em junho. O otimismo em relação ao futuro da economia cresceu, de 56% para 59%. A pesquisa mostrou ainda que o índice de aprovação de Lula melhorou entre os setores da sociedade e regiões do Brasil que, em sua maioria, votaram contra ele na eleição do ano passado. Pela primeira vez, mais evangélicos aprovam o líder esquerdista do que o desaprovam, e seus índices subiram no sul do Brasil, onde seu PT enfrentou derrotas eleitorais.  As políticas de Lula que mais agradaram os eleitores, inclusive aqueles que não votaram nele, são o Plano Safra e o programa para ajudar as pessoas a reduzir suas dívidas. A menos popular é sua proposta de reforma tributária. A Genial/Quaest entrevistou 2.029 pessoas com idade para votar entre 10 e 14 de agosto. A pesquisa tem uma margem de erro de 2,2 pontos percentuais, informa a Reuters.

Prensa Latina Lula é mais popular entre os habitantes do nordeste (72%), os mais pobres (68%), as mulheres (60%) e os jovens (57%), segundo a mesma pesquisa. Por faixa etária, o governo Lula é aprovado por 59% das pessoas entre 16 e 34 anos de idade. Para aqueles com idade entre 35 e 59 anos, a aprovação é a mesma, de 59%, e para aqueles com 60 anos ou mais, é de 61%. Entre os que se dizem mestiços, 60% aprovam o governo atual. Entre os brancos (56%), entre os negros (70%) e outras cores e raças 60%.  Pela primeira vez, Lula também teve a aprovação dos evangélicos, 50% dos quais disseram que ele teve um bom desempenho como presidente, em comparação com 46% na pesquisa de junho.

A publicação Brazilian Report resume no título: Pesquisa mostra aumento da popularidade de Lula devido a fatores econômicos de bem-estar. No texto: Lula alcançou sua maior taxa de aprovação desde o início de seu mandato, em janeiro.

Meio ambiente

O ministro da Casa Civil, Rui Costa, disse nesta quarta-feira que não há contradição em defender uma transição ecológica e novas frentes de exploração de petróleo, em observações que mais tarde foram repetidas pelo chefe da gigante petrolífera Petrobras, segundo a Reuters. Os comentários foram feitos no momento em que a Petrobras busca autorização para perfurar um poço na foz do rio Amazonas, um tema controverso que divide a própria coalizão do líder esquerdista. A agência alerta que Lula apostou sua reputação internacional na reversão do retrocesso ambiental durante o governo de seu antecessor de extrema direita, Jair Bolsonaro, quando o desmatamento da Amazônia aumentou.

O presidente Lula disse nesta quarta-feira que conversou com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, sobre o combate às mudanças climáticas e o resultado da cúpula das nações da floresta tropical no Brasil na semana passada. Em um post na plataforma de mídia social X (Twitter), Lula disse que ele e Biden conversaram por telefone e também discutiram uma iniciativa conjunta entre os países para criar empregos que deve ser lançada em breve, informa a Reuters.

Veja Também:  Em cerimônia com Lula, comandante do Exército defende a democracia

Bolsonaro e as joias

“Todo Rolex conta uma história”, afirmou certa vez o fabricante de relógios de luxo. Esta é a abertura irônica da extensa reportagem do The Guardian sobre o caso das joias de Bolsonaro. A polícia brasileira acredita que esse slogan é particularmente verdadeiro quando se trata do relógio cravejado de diamantes que está no centro de uma investigação sobre a suspeita de furto de presentes oficiais de alto valor por pessoas próximas de Jair Bolsonaro – e possivelmente pelo próprio ex-presidente. O escândalo – que envolveu presentes extremamente caros da Arábia Saudita e do Bahrein, um general de quatro estrelas do exército, o Airbus presidencial e um revendedor de relógios de luxo em Willow Grove, Pensilvânia – ganhou as manchetes pela primeira vez em março, três meses depois que Bolsonaro deixou o poder após perder a eleição de outubro passado. Depois de contar toda a história das joias, o texto do jornal britânico termina com o comentário: “Tudo isso parece uma comédia italiana”, disse o comentarista político Ricardo Kotscho ao site UOL. “Na verdade, é uma tragédia.”

Mulheres

Ao discursar na Marcha das Margaridas desta quarta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o Brasil voltou a dar atenção às mulheres do campo. Fontes oficiais indicaram que mais de 100.000 mulheres reunidas em Brasília na quarta-feira marcharam até o Congresso Nacional pela reconstrução do país. Desde o fim de semana até terça-feira, centenas de ônibus chegaram ao Pavilhão do Parque da Cidade, trazendo as participantes da marcha, coordenada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares (Contag), federações e sindicatos filiados e 16 organizações parceiras. “Quando vocês estavam caminhando sob o sol daquela Esplanada (dos Ministérios), em 2019, na última marcha, eu estava preso em Curitiba, vítima da perseguição daqueles que querem impedir que o Brasil mude”, garantiu Lula, segundo a Prensa Latina.

Apagão

Nodal, portal de informação dedicado a notícias da América Latina e do Caribe, recupera declaração da véspera de que o governo brasileiro pediria à Polícia Federal que investigue o enorme apagão que afetou quase todo o país por cerca de seis horas na terça-feira. “Estou absolutamente convencido de que o Operador Nacional do Sistema (ONS) ainda não pode dizer se esses eventos foram eminentemente técnicos ou se houve também erro humano ou até mesmo dolo”, disse Alexandre Silveira, ministro de Minas e Energia na terça-feira.

Coreia e Brasil

Coreia do Sul e Brasil buscam laços comerciais mais fortes, informa a Prensa Latina.  Durante uma videoconferência, os dois lados discutiram a possível assinatura de uma Estrutura de Promoção de Comércio e Investimento (TIPF) para aprofundar os laços bilaterais de comércio e investimento, segundo o Ministério do Comércio, Indústria e Energia da Coreia do Sul.

Ilustração: Lula / Mauro Pimentel/AFP

Tagged: , , , ,

Leave comment