Reuters: Em meio a tensão, Lula convocou Lira para encontro

Reuters: Em meio a tensão, Lula convocou Lira para encontro

Carmen Munari

A agência Reuters publicou reportagem sobre o principal tema do dia, o encontro entre o presidente Lula e o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira. O governo vem sofrendo derrotas em votações na Câmara e está sendo acusado por Lira de não ter a articulação política necessária.

Após o encontro, Lira disse que seu foco principal agora será a aprovação da reforma tributária e pediu ao governo Lula, que não tem maioria entre os deputados, que se esforce mais para conquistar os parlamentares para a aprovação da reforma. Lira disse à CNN Brasil que a reforma tributária deve ser votada pela Câmara antes que o Congresso entre em recesso em julho. “Estou empenhado em levar a reforma tributária à votação”, disse Lira. “E está muito claro na mente de Lula que a reforma tributária é absolutamente necessária.” Ele disse que Lula planeja convocar uma reunião com os líderes dos partidos de sua coalizão no Congresso ainda nesta segunda-feira para tratar da reforma tributária e das relações com o Congresso. Sugeriu que a lua de mel de Lula com o Congresso desde que ele assumiu o cargo em janeiro está chegando ao fim. “O combustível do prestígio do presidente com os líderes do Congresso está acabando”. Lira, no entanto, negou que houvesse um “confronto constante” com o presidente.

Neste cenário, o cientista social chileno Fernando de la Cuadra publicou artigo intitulado “Governo Lula está cercado por forças retrógradas” na página do Centro Latino-Americano de Análise Estratégica.Desde que assumiu a Presidência da República, Lula da Silva teve de superar inúmeros obstáculos para governar e cumprir suas principais promessas de campanha, como aumentar o salário mínimo, eliminar a pobreza por meio de transferências diretas do Estado e tirar o Brasil do Mapa da Fome por meio de políticas ativas de combate a esse flagelo mundial. Em rota de colisão, a extrema direita e a direita – que a imprensa eufemisticamente chama de centrista – persistem em colocar obstáculos incalculáveis a quase todas as iniciativas do Executivo. Lembremos que, antes mesmo de tomar posse, em janeiro deste ano, o novo governo teve de negociar com um Congresso chantagista a aprovação do orçamento de 2023, que incluía os recursos necessários para a execução das políticas descritas acima.”

Meio ambiente

O governo brasileiro informou na segunda-feira como planeja cumprir a promessa de eliminar o desmatamento na Amazônia até 2030, usando o reforço da aplicação da lei contra crimes ambientais e outras medidas na maior floresta tropical do mundo. Sob o comando do ex-presidente de direita Jair Bolsonaro, o Brasil aderiu a um pacto de 2021 com mais de 140 países para acabar com o desmatamento globalmente até 2030. O presidente de esquerda Luiz Inácio Lula da Silva, que assumiu o cargo em 1º de janeiro, fez disso um ponto central de sua política ambiental.

Um ano após o assassinato do ativista Bruno Araújo e do jornalista Dom Phillips, The Guardian publicou uma sequência de reportagens especiais sobre o tema. Em editorial, diz que para amigos e apoiadores do trabalho dos dois homens em defesa da Amazônia e de seus habitantes indígenas, o progresso da investigação oferece algum alívio… É muito cedo para afirmar com confiança que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva conseguiu acabar com o que ele chamou de “pesadelo” da era de devastação de Jair Bolsonaro, incluindo o desmatamento e as violações dos direitos humanos. O que é certo é que as pessoas em todo o mundo, assim como no Brasil, precisam de informações precisas sobre a complexa situação da maior floresta tropical do mundo, que desempenha um papel vital no sistema climático e está entre os lugares com maior biodiversidade do planeta. O jornal britânico também publicou um texto sobre os esforços para impedir a modernização da BR-319 (Rodovia Manaus–Porto Velho) que estão vacilando em meio à pressão de governadores e senadores de direita. Em outro texto, informa que “o jornalismo não deve ser silenciado” e colegas terminam o livro do repórter assassinado. Publicou ainda “sete passos” para salvar a Amazônia.

Veja Também:  O que dizer da economia sob Lula (vídeo)

No Dia Mundial do Meio Ambiente, o argentino Clarín traz extensa reportagem com origem no Guardian sobre as multinacionais que industrializaram a floresta amazônica.  Um punhado de gigantes globais domina a industrialização da floresta amazônica, extraindo dezenas de bilhões de dólares em matérias-primas a cada ano. Os dados emergem de uma análise que destaca a quantidade de valor extraída da região e as quantidades relativamente pequenas que retornam a ela. Mesmo com a taxa de desmatamento atingindo níveis históricos e com os padrões de vida na Amazônia entre os mais baixos do Brasil, a verdadeira extensão da extração permanece desconhecida, pois é difícil determinar dados básicos sobre a pecuária, a exploração madeireira e a mineração, apesar dos esforços para banir as commodities ligadas à sua destruição. Cita as indústrias Cargill, JBS, Minerva Foods, Marfrig, Amaggi, Suzano, Vale

EU + Mercosul

A Comissão Europeia afirmou que é prioridade concluir um acordo comercial há muito adiado com o bloco sul-americano do Mercosul, já que a UE busca novos aliados para reduzir sua dependência da China e dos Estados Unidos, de acordo com um documento visto pela Reuters. O documento, que deverá ser apresentado pelo principal diplomata da UE, Josep Borrell, na quarta-feira, estabelece a importância de garantir o acesso prioritário às matérias-primas e outros recursos da América Latina, em face dos “crescentes desafios geopolíticos”. Um pacto comercial entre a UE e o Mercosul foi acordado em princípio em 2019, mas ainda está aguardando ser ratificado pelos parlamentos dos países envolvidos.

Diesel

O governo do Brasil está considerando reintroduzir um imposto federal sobre o diesel este ano para pagar o plano do presidente esquerdista Luiz Inácio Lula da Silva de reduzir os preços dos carros, disse uma fonte com conhecimento do plano à Reuters. No ano passado, o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro reduziu os impostos sobre o diesel para combater a inflação antes da corrida presidencial.

Cuba

O herói da República de Cuba Fernando González chegou hoje a Belém, no Pará, para participar da 26ª Convenção de Solidariedade com a ilha, de 8 a 11 de junho. Os círculos próximos à delegação que o acompanha indicaram que González, presidente do Instituto Cubano de Amizade com os Povos, também realizará um programa de reuniões e visitas na região. De acordo com os organizadores da convenção, “2023 é um ano de extrema importância para esse movimento. Três décadas após a primeira convenção, Cuba vive novamente um momento delicado, com a queda acentuada do turismo desde a pandemia de Covid-19 e o aumento gradual e constante do bloqueio norte-americano, publicou a agência cubana Prensa Latina.

Foto Lula e Lira / Sergio Lima / AFP

Tagged: , , , , , ,

Leave comment